Textos do Hugo

Respeito à diversidade

Não sei se serei repetitivo no que tenho a dizer… E se eu for, peço desculpas desde já, mas acho que certos pensamentos existem para ser repensados infinitas vezes… Lembro-me do meu primeiro dia de aula num cursinho pré-vestibular, onde éramos apresentados ao seguinte conceito: RESPEITO À DIVERSIDADE. Ao conhecê-lo, senti um sopro de liberdade vir de encontro ao meu peito, pois até então eu me sentia julgado, apontado e encarcerado por causa das “diferenças” que haviam nascido comigo… Sei que pode parecer complexo, mas não é. A verdade é que não há no mundo um ser igual ao outro. Somos todos tão diferentes, mas tão diferentes, que chega a ser brutal qualquer manifestação de repúdio à diferença alheia. Fomos treinados para viver sob os padrões de tribos, segmentos e categorias. Mas será que ninguém percebe que isso desperta a mais pura crueldade humana?! Deslumbrado que estava com o tal respeito à diversidade, percebi que não só a liberdade se apresentava a mim, mas também a responsabilidade. Uma vez consciente do que significava esse importante conceito, notei que muito mais do que conquistar respeito, eu deveria aprender a respeitar. E foi aí que saquei que eu também tinha julgado, apontado e encarcerado muitas pessoas que considerei diferentes de mim… Somos algozes e vítimas ao mesmo tempo… Sempre… Meu desejo sincero é que a cada dia eu consiga mais e mais respeitar, conviver e amar as diferenças dos outros, para que um dia consiga conquistar tudo isso em dobro para mim.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *