Textos do Hugo

Sobre reconhecer os erros

É tão difícil reconhecer um ‘erro’. E isso acontece porque normalmente temos medo da reprovação alheia. Admitir que ‘errou’ é dar a cara a tapa, é se submeter a um possível julgamento de alguém que nem sempre está disposto a ser generoso… É submeter-se ao próprio julgamento. E vamos reconhecer: Perdoar a si mesmo é um desafio muito difícil de ser vencido. Quanto tempo perdemos com relacionamentos falidos, profissões que não tem nada a ver com a gente, situações insuportáveis, enfim… Tudo isso simplesmente pela dificuldade de dizer: ‘Eu errei. Não quero mais. Eu achei que seria de um jeito, mas foi de outro.’ O que a gente precisa mesmo é desfazer essa imagem assustadora que criamos a respeito do ‘erro’. Se viver é transformar-se a cada dia, é perfeitamente possível que o que me parece bom hoje, não seja tão bom assim amanhã. É natural que a gente mude de ideia, que se arrependa de determinadas escolhas e que prefira trilhar novos caminhos. Então eu te peço que pare de se submeter ao que te faz infeliz, por puro medo da mudança ou por medo de reconhecer que ‘errou’ quando optou por esse caminho. Essa mania de ‘não poder errar’ é muito chata e tira a graça da vida. E se por acaso o seu ‘erro’ acabou machucando alguém, peça perdão… Pedir perdão não é vergonha nem humilhação, é prova de dignidade.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *