Quer saber, eu não vou chorar

Quer saber, eu não vou chorar

Eu pensei que eu não suportaria uma vida sem você, achei que tudo perderia o sentido e que eu afundaria nas lembranças de um tempo que não voltaria mais… Nada é tão dolorido quanto se dar conta de que uma história, aparentemente feliz, chegou ao seu ponto final. Pensei que a saudade me roubaria o sono. Pensei que o desejo de te reencontrar contaminaria os meus sonhos. Achei que a sua ausência transformaria a minha vida num verdadeiro pesadelo.

Pois é, eu achei que seria assim, mas não foi. Descobri que existe em mim uma força que não me deixa cair, uma coragem de seguir em frente, uma vontade incontrolável de viver as promessas de uma vida nova.

Como diz o samba: “A vida vai te balançar, te questionar, te sacudir… O que ela quer da gente é coragem.”

Talvez as grandes dores sirvam justamente para isso… Para nos fazer enxergar a grande força que permeia a nossa alma. Não vou chorar por uma história que já acabou. É claro que é impossível esquecer… Existem marcas que jamais se apagarão, mas farei delas um motivo a mais para me amar e me superar.

Tudo o que é essencialmente verdadeiro permanece. Então se você se afastou, é porque tudo não passou de uma ilusão, um momento bom, um sonho com toques de felicidade… E só. Ilusões são sentimentos frágeis, facilmente destruídos pela força da realidade.




Talvez você tenha se apaixonado pela expectativa que depositou sobre mim. Talvez você tenha se encantado com a minha aparência e se decepcionado com a minha essência. Pode ser que você nunca tenha me amado… Ainda existe a possibilidade de você ter apenas brincado comigo.

São tantas as hipóteses. Perguntas que jamais serão respondidas. Então eu escolhi não derramar uma lágrima sequer, porque sei que mereço muito mais do que o riso frágil de uma ilusão.

O que eu espero da vida é um grande encontro, um abraço capaz de curar até mesmo as feridas que desconheço em mim. Você não foi esse encontro. Você não foi esse amor, muito menos esse destino.

Por favor, não se ofenda, não tem necessidade. Se parar pra pensar, vai ver que tenho razão. Eu apenas entendi que sou muito mais forte do que eu pensava. Descobri que, embora tenha vivido tantas dores, sou capaz de sobreviver às frustrações da vida e não tenho tempo para sofrer com as mentiras de um coração carente. Eu mereço a verdade, e daqui pra frente não vou me contentar com restos de carência ou jogos de vaidade.

Então eu escolho me superar, eu escolho lutar, eu prefiro sorrir mesmo que os meus dias ainda não sejam tão felizes assim.

Página virada, livro passado adiante… Enfim, vamos à emoção de uma nova história.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho, afinal de contas todos nós temos as nossas doçuras e amarguras emocionais <3

Gostou do texto?! Então leia também esse aqui, você vai AMAR com certeza: Seja grato! Sinta gratidão!

Enfim, eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Hugo Ribas

Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *