Textos do Hugo

Sobre insegurança

Imagem enviada pela leitora Nilly Barreto.

Quem nunca ouviu conselhos como: “Você tem que confiar no seu taco!” ou então “Você tem que ter amor próprio.”

A verdade é que a gente sabe tudo o que a gente tem que ser, tipo: Eu tenho que ser seguro, tenho que me amar em primeiro lugar, tenho que me libertar de mágoas, tenho que desapegar, tenho que virar a página… Enfim, isso não é novidade pra ninguém e para ser bem sincero, estou até meio cansado de tanto ler e ouvir essas frases por aí. Porra, eu sou humano, e como todo humano estou tentando aprender a lidar com as minhas próprias emoções…

Somos um resultado de todas as experiências que vivemos no decorrer da vida. Ser inseguro não é só uma questão de confiar no meu taco, pois foram muitas as vezes em que confiei no meu taco e depois caí do cavalo. Ser inseguro, assim como ter medo, sentir ciúmes ou se sentir culpado, é também uma consequência de situações das quais eu vivi… Feridas abertas que ainda não cicatrizaram… Talvez eu seja apenas um coração cansado de tanto se enganar. Um alguém exausto de tanto ser machucado. Por mais que eu acredite nos meus potenciais e saiba que não sou um copo descartável, ainda tenho medo de sentir dores cujas latejadas furtam-me a razão.

Entende o que quero dizer?! Existem mil motivos para uma pessoa ser insegura… Ela pode ter sido muito machucada durante a vida toda, ela pode ser vaidosa, ela pode ter medo de exposições, ela pode ter errado muito no passado e agora ter medo de errar de novo. Percebi que não existem métodos para superar esses sentimentos negativos. Cada um acaba encontrando o seu próprio caminho de acordo com sua vivência e sua personalidade, não existem regras nem padrões. Acho que superá-los é uma questão de exercício, de fazer valer as mudanças que você quer na sua vida. Questionar-se, sempre! Mas sem se auto-julgar. Simplesmente entender o porquê.

Compreendi que no meu caso a insegurança era fruto da vaidade… Eu não queria fazer feio na frente das pessoas. Queria que todo mundo aplaudisse meus feitos, desejava a perfeição! O desejo de acertar sempre controlava meus atos e pensamentos, tornando-me uma pessoa absolutamente insegura. Enfim, para encontrar essas respostas você tem que ser muito sincero consigo mesmo, não adianta vestir máscaras ao se olhar no espelho… Você tem que estar disposto a enxergar o melhor e o pior de você. Encontrar a raíz do problema… Essa raíz está fincada lá no fundo do coração.

Superei a insegurança na prática. Errando, arriscando, enxergando que todo mundo erra, todo mundo se machuca, todo mundo fere… Compreendendo que todo mundo tem suas imperfeições. Seria muita arrogância da minha parte querer ser perfeito aos olhos do mundo. Bobagem. Essa é uma luta inútil.

Entenda-se. Esse é o segredo. Entenda-se.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *