Revele-se para mim

Revele-se para mim: Amores desencontrados

“Revele-se para mim” são textos escritos por Lucca, um personagem/narrador que escreve e reflete sobre histórias, pensamentos e desabafos que ouviu pelas ruas…  Se você quiser que a sua história seja contada por Lucca, clique aqui.

Sei que isso pode parecer loucura, mas amo ouvir histórias que não são minhas. De alguma forma elas me preenchem e me fazem refletir a respeito dessa aventura chamada Vida. Somos únicos, isso é indiscutível. Ninguém é igual a ninguém, mas os sentimentos são os mesmos… Todo mundo já chorou por amor, todo mundo tem suas mágoas guardadas no peito… Quem nunca caiu do cavalo?! Eu mesmo, já caí várias vezes! Ultimamente atravesso noites em claro assistindo séries e chorando que nem um condenado por conta de um pé na bunda que levei. Algumas pessoas já me conhecem, outras não, então eu preciso me apresentar: Meu nome é Lucca, tenho 23 anos e decidi ouvir histórias e revelações de pessoas desconhecidas, como forma de encontrar um pouco de mim nesse turbilhão de sentimentos que rolam por aí. Eu posso ser um personagem, uma brincadeira, uma simples narração… Mas posso ser também um pouco de você refletido num espelho. Então preste atenção em tudo o que tenho para contar.

Dia desses vi uma frase que dizia assim: “Todo mundo tem o direito de chorar, de pedir colo, de dizer que não aguenta mais. Dá muito trabalho ser forte o tempo todo.”

Essa é uma grande verdade. Só que às vezes não tem colo nenhum à disposição… Às vezes a gente se pega numa solidão tão grande quanto um abismo. A família não te entende e os amigos são poucos, quase nenhum. Para onde quer que você olhe, não há uma viva alma capaz de estender a mão e curar as suas dores. Pra completar a situação, geralmente, os nossos amores se desencontram de forma tal, que a gente não consegue nem compreender o que se passa lá dentro do nosso coração.

Talvez o único refúgio disponível seja você mesmo…

Certa vez uma mocinha resolveu me falar um pouco sobre os desencontros apaixonados que tinha vivido e acabei pensando naquela velha frase: “Quem eu quero não me quer, quem eu não quero me quer.” No passado ela teve um relacionamento bacana, mas nunca foi verdadeiramente apaixonada pelo cara. Hoje, ela vive uma situação oposta… Está envolvida com um rapaz que não leva nada a sério . Ela enxerga essa verdade, mas não consegue se desvencilhar. Por mais que ela tente romper esse “lance” que rola entre os dois, ela não consegue… Complicado né?!

Ela sabe que merece alguém muito melhor, alguém que a ame de verdade, que seja leal e verdadeiro. Mas tem medo de ficar sozinha, então acaba se rendendo às migalhas que lhe oferecem… Isso é bem perigoso: Um coração distraído com migalhas não enxerga os amores verdadeiros que estão por perto.

-Sonhos são muitos. Quero um amor eterno, quero ter motivos pra sorrir, quero andar de mãos dadas na rua, assistir filme juntos e comer brigadeiro de panela. Quero ouvir aquela música e lembrar daquela pessoa que faz toda a diferença na minha vida. Sonho muito, sonho com alguém que me entenda e me aceite como sou. Quero alguém que me provoque tanto amor ao ponto de despertar o melhor de mim. Não posso me contentar com menos que isso. – disse-me ela.

Os corações andam tão desencontrados ultimamente. Eu os vejo todos por aí, buscando amores, sonhando e desejando felicidade… Mas eles não se esbarram… Ou então se fecham tanto em seus mundos de desejos impossíveis que não conseguem enxergar os corações abertos que estão à sua volta.

O medo de ficar sozinho faz a gente achar que a solidão é um bicho perverso que corrói e destrói a gente por dentro. Só que eu tenho pensado muito sobre isso e cheguei à conclusão de que a solidão não é esse monstro tão terrível! Ela só será ruim se eu não estiver bem comigo mesmo. Oras, a minha própria companhia não pode ser tão ruim assim!!!! Não se engane com essas paixões ilusórias que só te fazem perder tempo. Isso só provoca sofrimentos inúteis e apegos desnecessários. O melhor de tudo é entender que você pode se amar integralmente, aceitar-se com todos os seus medos e defeitos, completar-se… Ah, completar-se… Não precisar de ninguém para se sentir inteiro. Isso é libertador, faz bem pra alma e pro coração. Acredite em mim, no dia em que você se transformar no grande amor da sua vida, alguém especial vai cruzar o seu caminho… E vai ficar para sempre.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

1 thought on “Revele-se para mim: Amores desencontrados”

  1. E bem assim mesmo,usamos o outro como muleta. O medo de ficar só é forte demais e aliado a carência,vixe kk . Entretanto,quando acordamos deste sono que em q vivemos.onde a solidão e um Bixo papão,kk. Entendemos como é libertador. Super????amei o texto!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *