Revele-se para mim

Revele-se para mim: Sentimentos eternos

“Revele-se para mim” são textos escritos por Lucca, um personagem/narrador que escreve e reflete sobre histórias, pensamentos e desabafos que ouviu pelas ruas…  Se você quiser que a sua história seja contada por Lucca, clique aqui.

Guardo sentimentos comigo que jamais se apagarão… Tenho a sensação de que vidas e mais vidas atravessarão o arrastar dos séculos e mesmo assim esses tais sentimentos permanecerão intactos, profundamente enraizados em mim. Impossível me libertar. Fazem parte de mim e da minha história… São eles os responsáveis pelo que me tornei hoje, não tem como fingir que não existem, não tem como esquecer. Cheguei a pensar que eu fosse o único no mundo a ser assim, achei que eu fosse o único louco desvairado, apegado a sentimentos, pessoas e saudade…

Juro, pensei que estaria condenado a ser um eterno incompreendido.

Até ouvir uma história que me comoveu demais e, de certa forma, me lembrou a minha própria história. Ela tinha onze anos quando se apaixonou por um garoto com a mesma idade. Eram duas crianças, um amor infantil e até ingênuo. O tipo de amor onde tudo o que você precisa pra ser feliz é saber que aquele alguém existe… O respirar daquela pessoa especial é o suficiente para você se sentir completo. Aquele tipo de amor que te faz sentar em frente à janela, durante um dia inteiro, só para esperar que ele passe à cavalo e lhe dê um singelo sorriso… Um rápido momento, tão passageiro quanto à vida, mas eterno para quem ama.

Não, não era um amor platônico. Era recíproco. O passar do tempo provou que aquele sentimento não era uma simples fantasia da cabeça de menina… Era verdadeiro. O beijo era exatamente como ela imaginava. O toque da mão, o calor da pele, o bater do coração, tudo era perfeito. O amor transbordava e não cabia no peito. Mas havia também forças contrárias ao redor, pairando através de palavras que testavam a força daquele amor.

-Você sabe que vai enfrentar grandes dificuldades para ficar com ele, não sabe? -dizia um.

-Você tem certeza de que ama esta moça? -dizia outro.

-Será que isso é coisa da minha cabeça? -sussurrava um pensamento.

-Será que eu estou pronto para uma relação? -murmurava uma outra ideia.

As escolhas que a gente faz pela vida são mesmo muito estranhas. Não sei se posso chamar de destino ou de acaso, mas é engraçado como a gente trilha caminhos que não atendem aos pedidos do coração. Por circunstâncias da vida, provamos de frutos proibidos e despertamos lados obscuros de nossa própria existência. O medo, a ilusão, a saudade e a paixão são capazes de virar tudo de cabeça pra baixo.

Ele se afastou… E se envolveu com outra pessoa… Um alguém tão improvável…

Abandonada e sentindo-se trocada, ela foi ao fundo do poço. Ultrapassou todas as barreiras da dor e se fechou na escuridão de sua tristeza. Até descobrir que só havia uma força capaz de reerguê-la: O amor sincero e verdadeiro que sentia. A certeza desse amor eterno foi a escada que a fez subir, degrau por degrau até a superfície. A esperança, a coragem e a força de vontade são implacáveis quando se trata de amor.

Entre as idas e vindas do tempo, eles conheceram outras pessoas, namoraram, distanciaram-se e se reencontraram.

Juntos eles enfrentaram as delícias de um amor e as dores da separação. Juntos sofreram e juntos amaram. Amargaram distâncias, adocicaram o afeto… Renderam-se ao inevitável. Não há força capaz de minguar um sentimento verdadeiro e eterno. O amor.

Por amor você é capaz de superar obstáculos e vencer seus próprios medos. Com amor você se transforma. Através do amor você descobre que é mil vezes mais forte do que imaginava… Pelo amor você derruba as barreiras do preconceito.

Tudo isso me fez lembrar um alguém que faz parte da minha vida há tanto tempo. Será que é amor?!

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *