Revele-se para mim

Revele-se para mim: Traição, não!

“Revele-se para mim” são textos escritos por Lucca, um personagem/narrador que escreve e reflete sobre histórias, pensamentos e desabafos que ouviu pelas ruas…  Se você quiser que a sua história seja contada por Lucca, clique aqui.

Eu demorei para escrever esse texto… Confesso que para falar sobre traição, tive que revisitar algumas dores que já estavam esquecidas lá no fundo do peito. Recebi muitas mensagens de pessoas traídas, pedindo-me que falasse sobre o assunto. E tantas foram as histórias, que cheguei a uma péssima conclusão: Está muito difícil confiar em alguém.

Todos são capazes de dizer belas palavras, mas isso não é o suficiente. Transformar palavras em atos não é para qualquer um… A pessoa tem que ser muito foda, tem que ser muito íntegra e honesta para bancar o que diz. E isso, meu amigo, é muito difícil de se encontrar. Parece que as relações se transformaram em jogo e diversão. Recebi mensagens do tipo:

“Ele está com outra, some e depois me manda mensagem dizendo que me ama. Depois some de novo.”

“Descobri que ela trocava mensagens com outros caras… Terminamos, mas não consigo esquecê-la. De repente ela apareceu me pedindo perdão, mas me traiu de novo.”

“Ele disse que vai terminar o namoro para ficar comigo, mas isso nunca acontece.”

E eu te pergunto, como é que você vai acreditar que uma relação pode dar certo, se você é tratado como brinquedo que só serve para passar o tempo de vez em quando?! Mergulhar de cabeça num relacionamento é ato de coragem. Quando a gente se apaixona, o coração fala mais alto, não tem como evitar. Você pode até jurar que nunca mais vai amar… De repente alguém cruza o seu caminho e detona esse juramento. Não tem escapatória.

Diante disso, acho que é bobagem se fechar. É tipo mutilar os próprios sentimentos. É como prender um passarinho numa gaiola. O amor não foi feito pra ser engaiolado. O risco de você se enganar existe, você pode acabar se apaixonando por alguém que não é digno de você… No fundo, no fundo, todo mundo está correndo esse risco o tempo todo.

Penso que o legal disso tudo, é aprender a mudar os ângulos. Enxergar essa mesma realidade por uma nova perspectiva. Quando a gente é traído, normalmente a gente se sente um lixo… Mas esse negócio aí está errado. Acho que já escrevi isso uma vez, mas vou repetir: Quem trai é que é o lixo da história, não você. Entende o que quero dizer? Você pode escolher a forma como vai encarar tudo isso.

Se você foi traído, mude esse ângulo por mais que seja difícil, enxergue o seu valor, entenda que você merece alguém verdadeiro, não deixe de acreditar que você tem o direito de ser feliz, lute para escrever essa história feliz. E claro, o mais importante, afaste-se o quanto antes de quem é desleal, feche as portas para quem não respeita o que você sente. Mas deixe uma brechinha aberta para quem realmente está afim de amar… Sim, por incrível que pareça, essas pessoas existem. Eu conheço várias. Eu sou uma delas. Você é uma delas.

E se você tem medo de ser traído… Supere. Para sua própria felicidade, supere. Não dá para viver sofrendo por coisas que nem sequer aconteceram.

O grande lance da vida é aprender com as decepções, amadurecer e se superar. A traição dói, isso é inegável, mas ela prova que você tem uma joia rara escondida no coração: Dignidade. Isso é motivo o suficiente para sorrir e continuar vivendo. E acreditando que muitas coisas ainda podem acontecer.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *