Nem sempre seguir o coração é a melhor solução

Nem sempre seguir o coração é a melhor solução

Às vezes a gente tem que pensar é com a cabeça mesmo. Colocar a mente em ordem, respirar fundo e refletir sobre tudo o que está acontecendo…

Quem me dera ter o poder de escolher a pessoa certa! Raramente isso acontece. Na maioria das vezes eu acabei quebrando a cara e me entregando à quem não merecia um pingo da minha atenção. Desencontros. Carências inexplicáveis. Talvez uma certa ausência de amor próprio.

E não foi diferente dessa vez… Eu me apaixonei por alguém totalmente errado! Alguém que não soube me enxergar e nem me manter por perto. Alguém que não soube valorizar meus esforços, muito menos aceitar os meus medos ou respeitar o meu tempo.

Eu inventei de amar alguém que esperava de mim o que eu não podia dar.

Alguém que menosprezava o que eu oferecia…

Então eu optei pela distância. Preferi ficar longe e continuar a minha vida… Mas isso não quer dizer que o amor tenha acabado. Ele está aqui, quietinho e escondido, tentando se curar. E para isso acontecer eu tenho que ser minimamente racional, porque se eu atender aos desejos do meu coração, meu amigo… Posso acabar me perdendo mais uma vez nesses amores que machucam.





Amores que nem sempre são de verdade… Amores que, sinceramente, são frutos de expectativas exageradas. Frutos do medo da solidão.

Talvez você esteja passando por isso também. Pode ser que você esteja morrendo de saudades de alguém que, no fundo, nunca te fez feliz. Isso é tão estranho, né?! Nós somos absolutamente frágeis… Um simples telefonema pode colocar a perder todo o esforço de superação.

E vamos ser sinceros? Vontade de mandar uma mensagem é o que não falta!

É por isso que seguir o coração, nesses casos, pode ser uma tremenda armadilha. Algumas vezes (na maioria das vezes) é melhor usar a razão… Amar só vale a pena quando te traz paz.

Tudo o que quero é um amor tranquilo, sereno, cheio de doçuras e simples emoções. Por onde amei, só me deparei com ilusões em erupção… Cheguei no limite… Esgotei todas as minhas forças. Não dá mais para fazer tudo o que o coração manda, eu já me machuquei demais.

É tempo de amadurecer. Tempo de aprender a lidar com os próprios sentimentos, enxergar as próprias fragilidades. Amadurecer dói. Tem que ter coragem… E até mesmo sangue frio. Assumir responsabilidade total pelos rumos que a sua própria vida tomou não é uma decisão tão fácil quanto parece.

Prefiro lidar com essa saudade, deixar o tempo passar e chorar quieto no meu canto quando a lembrança vier. As lágrimas nem sempre são um sinal de tristeza… Talvez elas me ajudem a cicatrizar esses amores desencontrados.

E quem sabe um dia… Trilhando os caminhos da vida, eu esbarre em alguém que faça valer a pena seguir o coração.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho <3

Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: O que você espera de si mesmo?!

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Hugo Ribas

Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Um comentário em “Nem sempre seguir o coração é a melhor solução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *