Textos do Hugo

Seu silêncio me afastou…

Seu silêncio me afastou…

Porque amor só se constrói com atenção e cuidado. Não adianta querer me forçar a correr atrás de você. Este é um péssimo jogo, não vejo graça.

Aliás, eu já perdi a graça.

Senti e ainda sinto muito a sua falta, não vou negar, mas estou me acostumando com a sua ausência. Eu estou ficando bem sem você… E acredite, isso me assusta um pouco. Acho que me tornei uma pessoa fria. Pensei que não conseguiria seguir em frente sozinho,  mas essa sua mania de me deixar no vácuo está me mostrando que eu sou mais forte do que pensava.

Entendi que para conquistar alguém você tem que mostrar que se importa… Não adianta fingir que não está nem aí. Não consigo entender muito bem essa ideia de que a indiferença atrai as pessoas. “Pouco caso” nunca me atraiu. Desprezo nunca me fez ficar com alguém. Eu curto reciprocidade. Eu me amarro em quem demonstra afeto.

O mais “louco” disso tudo, é que você se importava e cuidava muito bem da gente. Foi exatamente isso que me fez ficar, foi isso que me conquistou… Se era pura ilusão, eu não sei. Se você me amava, ou ainda ama, eu também não sei. A única coisa que eu sei é que você mudou. Calou-se de uma hora para a outra. Talvez isso tenha me machucado aos poucos…




Eu fui me afastando cada vez mais. Agora vou tomar outros rumos e viver outros sonhos. Você não estará em nenhum deles… E quer saber?! Não vai fazer falta. Vácuos não me atraem. O silêncio me afasta, eu perco a graça. E você perdeu toda a graça para mim. Tudo o que me encantava, hoje não me encanta mais. O que me apaixonava, hoje não me apaixona mais.

O seu silêncio mudou muitas coisas aqui dentro de mim. Estou percebendo que madureci demais. Parei de me iludir facilmente… Aprendi a me preservar e consegui escutar a voz do amor próprio. O meu amor por alguém jamais poderá ser maior que o meu amor próprio, sacou?!

Colocar um ponto final na nossa história pode ser uma decisão bastante dolorida, mas extremamente necessária. Sei que vou encontrar uma certa dose de dor, mas quando tudo isso finalmente passar, eu serei muito mais feliz.

Então não considere esta mensagem como uma tentativa de te fazer voltar. Não acho que valha a pena. Quero apenas que saiba que você me perdeu, e a culpa não é minha. Considere essas palavras como as últimas que eu dedico ao que sentimos um pelo outro… Um simples desabafo… Uma constatação… Uma azeda constatação: Nós nos perdemos. E foi você que começou tudo isso.

Apesar de uma certa dor e de uma dose amarga de saudade, sinto também que daqui por diante conquistarei outras felicidades, cruzarei outros destinos bem mais interessantes. Isso não me deixa triste, entende?!

E quando você se apaixonar novamente, por favor, não seja tão asno… Mostre que se importa, ok?! Ou então vai sair perdendo mais uma vez.


Se você curtiu esse texto, você vai AMAR este aqui ó: Reciprocidade… Você nunca soube o que é isso.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde e Recalculando a Rota.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

3 thoughts on “Seu silêncio me afastou…”

  1. Amei esse texto,isso tudo é o que tô passando agora. Ainda sou louca por ele e ele já me falou que não quer mais nada comigo,e eu não sei o que fazer,me ajuda pfvr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *