Textos do Hugo

Não vou insistir




Oi… Lembrei de você e resolvi escrever.

Você sabe, nunca fui muito bom com as palavras faladas. Espero que esta carta encontre um lugar especial no seu coração e que ela fique guardada aí com você, para sempre. Isso aqui não é uma despedida, nem um rompimento ou qualquer coisa do tipo. Mas também não é uma declaração de amor…

Eu nunca soube dar um nome para o que sinto, mas sei que é bom e é grande, tão grande que não cabe em mim. Você, infelizmente, não soube enxergar. Digo isso porque você teria sido mais atento se fizesse ideia do que sinto. Não teria me deixado passar assim tão fácil, como se eu fosse apenas mais um.

Tudo bem. Eu sei que você não tem culpa e que nunca quis me machucar. Acredite, você não me machucou. E ninguém aqui tem culpa.

Estas palavras não são um julgamento, muito menos uma condenação.

Eu tenho absoluta convicção de que mereço a felicidade. Posso afirmar, com certeza, que não sou qualquer pessoa… Posso ter meus defeitos, medos e complicações… Mas também tenho um coração verdadeiro, capaz de fazer tudo para te salvar.

Nós dois sabemos que você não quer ser salvo.

E nós dois também sabemos que eu não mereço insistir em alguém que, simplesmente, não está afim de caminhar ao meu lado. Eu mereço muito mais que isso.

Então não vou insistir.

Esta carta é um sincero desejo por felicidade. Quero que você encontre o seu lugar ao sol. O caminho que te faça feliz e digno. Um lugar onde todos os seus sonhos se realizem, ainda que você não saiba muito bem que sonhos sejam esses… As minhas palavras são um abraço apertado, um beijo apaixonado e até mesmo uma ousada mordida… Palavras de quem não te quer mal. Linhas escritas por alguém que quer te ver feliz. Parágrafos escritos por alguém que, acima de tudo, quer e merece ser feliz.

Estou seguindo em frente. Você sabe como e onde me encontrar. Se algum dia achar que vale a pena… Não pense duas vezes, pode me chamar. Mas lembre-se também que não estou à disposição da sua carência e que não vou ficar aqui te esperando. Simplesmente arrisque. Pode ser que eu ainda esteja livre… Pode ser que não. A escolha é sua.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *