Você me esqueceu

Você me esqueceu

Não vou bancar o forte, isso não é pra mim. Não sou do tipo que usa máscaras. Não estou afim de fingir sentimentos, nem de vestir máscaras. Às vezes a gente sofre mais quando tenta parecer que está bem, e eu não quero mais passar por isso. Estou sufocado. Existem gritos e choros entalados aqui dentro de mim.

A sua indiferença me machucou… E muito. Não tenho como disfarçar… Os meus olhos revelam o que minha alma tenta esconder, entende?!

Restou em mim essa saudade estranha, meio dolorida, às vezes quieta, incômoda.

Um certo pesar, sabe?!

Acho que a gente ainda tinha muita coisa para viver. Eu tinha um mundo inteiro pra te mostrar. Mas não deu, né?! Da noite para o dia você me esqueceu e me apagou da sua vida, sem fazer cerimônia. Eu tive que lidar com a rejeição e com o abandono. Tive que aceitar essa sensação de ser descartável…

E eu fico me perguntando: Será que doeu?! Será que, realmente, foi tão fácil assim pra você?

Essa falta de preocupação com os sentimentos alheios me choca, eu admito. Todas as noites, quando deito a cabeça sobre o travesseiro e lembro de você, eu penso: Será que você sente a mesma saudade que eu sinto?!

Sinceramente? Acho que não.




Talvez você esteja perdido em outras saudades, buscando explicações para outras dores, sonhando com outros amores…

E eu fiquei para trás. Tudo bem. Como diz a música:

“Mas não tem revolta, não
Eu só quero que você se encontre
Saudade até que é bom
É melhor que caminhar vazio…”

Também não quero perder muito tempo me lamentando. Já chorei demais por pessoas que não me amavam de verdade, sabe?! Acho que já estou meio calejado. As feridas não me causam desespero. Eu sei que elas passam e cicatrizam…

Talvez seja hora de reconhecer essas dores em mim e permitir que elas cicatrizem, uma a uma.

O tempo…

O tempo vai fazer essa história passar.

E vai ficar tudo bem, eu sei.

Eu estou escolhendo superar isso tudo com maturidade. Estou aprendendo a aceitar as minhas tristezas e compreender as minhas carências. Estou entendendo que é bem melhor aceitar a realidade como ela é…

Você me esqueceu, isso é um fato. E não há nada que eu possa fazer para mudar isso, a não ser superar e seguir em frente.

Bom mesmo é se apaixonar por alguém que faça de você um protagonista, e não um mero coadjuvante. Bom mesmo é amar alguém que quer fazer de você uma presença constante… Que goste da sua atenção e que valorize o seu empenho. Bom mesmo é estar ao lado de quem permite que você se aproxime de verdade.

Jamais se contente em ser uma história qualquer a ser esquecida num estalar de dedos.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho <3

Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: Eu vou dar a volta por cima

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Hugo Ribas

Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *