Textos do Hugo

Você me esqueceu




Não vou bancar o forte, isso não é pra mim.

A sua indiferença me machucou… E muito.

Restou em mim essa saudade estranha, meio dolorida, às vezes quieta, incômoda.

Um certo pesar, sabe?!

Acho que a gente ainda tinha muita coisa para viver. Eu tinha um mundo inteiro pra te mostrar.

Mas não deu, né?!

Da noite para o dia você me esqueceu e me apagou da sua vida, sem fazer cerimônia.

E eu fico me perguntando: Será que doeu?! Será que, realmente, foi tão fácil assim pra você?

Todas as noites, quando deito a cabeça sobre o travesseiro e lembro de você, eu penso: Será que você sente a mesma saudade que eu sinto?!

Sinceramente? Acho que não.

Talvez você esteja perdido em outras saudades, buscando explicações para outras dores, sonhando com outros amores…

E eu fiquei para trás. Tudo bem. Como diz a música:

“Mas não tem revolta, não
Eu só quero que você se encontre
Saudade até que é bom
É melhor que caminhar vazio…”

Também não quero perder muito tempo me lamentando. Já chorei demais por pessoas que não me amavam de verdade, sabe?! Acho que já estou meio calejado. As feridas não me causam desespero. Eu sei que elas passam e cicatrizam…

O tempo…

O tempo vai fazer essa história passar.

E vai ficar tudo bem, eu sei.

Bom mesmo é se apaixonar por alguém que faça de você um protagonista, e não um mero coadjuvante. Bom mesmo é amar alguém que quer fazer de você uma presença constante… Que goste da sua atenção e que valorize o seu empenho. Bom mesmo é estar ao lado de quem permite que você se aproxime de verdade.

Jamais se contente em ser uma história qualquer a ser esquecida num estalar de dedos.

A história que inspirou este texto foi enviada por uma leitora que não quis se identificar. Se você quiser me me contar sua história, fazer perguntas sobre a vida, o amor ou sobre os nossos sentimentos tão contraditórios, fique à vontade para deixá-la aqui nos comentários… Se não quiser que a sua identidade seja revelada, é só clicar em CONTATO, preencher o formulário, ou então entrar na minha página do Facebook 😉

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *