Textos do Hugo

Você se afastou e eu te agradeço por isso

Você se afastou e eu te agradeço por isso.

Eu tentei disfarçar e quis bancar o forte, mas fracassei. Às vezes eu tenho vontade de voltar atrás, fazer uma viagem no tempo e tentar fazer diferente. No entanto prefiro sorrir e ignorar a sua ausência. Acredite, este sorriso que trago no rosto esconde noites inteiras de lágrima. Tenho comigo alguns resquícios de saudade. E a saudade que sinto tem o seu nome… Quando olho para trás e penso na nossa história, vejo que amei sozinho. Foi um amor intenso e lindo, mas absolutamente solitário.

Nenhum amor sobrevive à solidão. A verdade é que pra você a minha entrega tão visceral foi apenas uma distração, um passatempo. Para mim foi muito difícil enxergar essa verdade tão crua. E às vezes tenho raiva de mim mesmo por sentir a sua falta.

Sua ausência me dói.

Minha ingenuidade me corrói, destrói por dentro.

Mas não sou do tipo que desiste da vida, ou que deixa de acreditar em dias melhores. Com as quedas no caminho, aprendi a me reerguer, a deixar o tempo fluir e curar as feridas. Você não sabe disso, mas guardo comigo muitas cicatrizes… E todas elas são a prova de que eu sobrevivi às feridas mais profundas. Sei que sou forte. Sei que sou capaz de me superar. Capaz de te superar! Aprendi, sobretudo, a me olhar no espelho e enxergar uma pessoa cheia de sonhos bons, sinceridade, lealdade…




Isso me faz sorrir de verdade, apesar da saudade.

Isso me faz acreditar que a vida me reserva lindas promessas. O destino me reserva alguém que vai fazer a diferença e que vai me fazer entender porque todos os outros deram errado. Você é só mais um dos que deram errado. Você não passou de um acidente de percurso. Um imprevisto. Uma queda boba que acaba ralando o joelho, mas que sara rápido apesar de arder e arrancar certas lágrimas…

Dor e amor. Saudade e alegria. Tudo me faz amadurecer, crescer, colocar os pés no chão e ser alguém melhor. Talvez um dia você se dê conta de que saiu perdendo, mas será tarde demais. Aliás… Já é tarde demais.

Então, no fundo, eu te agradeço por ter se afastado, pois cheguei à conclusão de que essa saudade que sinto é causada pela minha própria carência… A falta que sinto é fruto dessas ilusões todas criadas pela minha cabeça. Eu nunca me apaixonei por você. Eu me apaixonei pela ilusão que você acabou me proporcionando. É por isso que a sua indiferença me obrigou a enxergar a pessoa digna que sou. Essa saudade que ainda dói me faz pensar que mereço ser feliz ao lado de quem me ame como sou, verdadeiramente. Essa ausência que quase me enlouquece me leva a desvendar os mistérios do amor próprio…

Eu já não me contento mais com ilusões. Palavras e promessas não são capazes de me encantar. Eu prefiro as atitudes. A sinceridade enche os meus olhos…

Você se afastou e eu te agradeço por isso.


Leia também esse texto, ele pode te ajudar: Reciprocidade… Você nunca soube o que é isso.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde e Recalculando a Rota.

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *