Textos dos colaboradores

Se não for para me fazer bem, não fique!

Te esperei por muito tempo… Arrumei a casa, passei minhas roupas, tomei um banho e estou usando o meu melhor humor e perfume. Estou aqui com um café bem quentinho e o meu coração numa bandeja. Mas, antes de qualquer coisa, quero que saiba: se é para me fazer sofrer, não fique.

Eu sei, falando assim soa um tanto quanto egoísta. Mas de fato, de tanto me doar, já colhi muito sofrimento. Por essa mania de querer agradar, esqueci tantas vezes de mim mesmo que me perdi nos desejos dos outros. O que busco agora é me encontrar, ser eu mesmo e, quem sabe, se você aceitar, sermos dois.

Se não for para me aceitar assim nem venha. Deixe de lado todas as cerimônias e apenas me diga um adeus. Não perca seu tempo com desculpas que não justificam nada além da minha incapacidade de jogar esse jogo. Eu sei, sou feito disso, de amor e contrariedade. Para entrar em meu mundo tem que estar disposto a deixar de lado todos esses padrões. Tem que estar disposto a aventurar-se por terras estranhas e gostos peculiares. Exigir menos do que isso é aprisionar-me numa gaiola dourada.




E se de mim espera o mais do mesmo, deixe-me aqui. Deixe que eu percorra o oceano de minha solidão e possa, um dia, ancorar em um porto seguro em terras tão distantes quanto eu.

Se depois de tudo o que disse e de tudo o que viu, ainda assim você me quiser em seu mundo, saiba que não poderá existir amor maior. Porque é disso que são feitas as maiores histórias, de paixão e companheirismo. Correr o risco de abrir meu mundo para você e aceitar o seu, sem nada por ou tirar, é estar disposto a viver a maior aventura que um ser humano pode almejar: ser um e ao mesmo tempo dois. Nem os mais belos poemas podem, em seus versos e suas rimas, transmitir o poder do sentimento de duas pessoas que se respeitam e se reconhecem no amor.

 


Matheus Miranda é um vagalume que se propôs a ser ele mesmo, mesmo sabendo que a busca por si mesmo é sempre algo constante e mutável. Apaixonado pela escrita é membro idealizador do blog SER E SÓ. Leonino com a lua em virgem, estudou  Logística além de viajar apaixonadamente pelo comércio exterior, e por projetos com processos criativos e de co-criação. Entende que entre livros, vinhos e pessoas está o supra sumo do universo e o que vem em seguida disso é de regalo extra da maravilhosa vida.

Se você quiser fazer perguntas sobre a vida, o amor, sobre os nossos sentimentos tão contraditórios ou se quiser que sua história se transforme em textos aqui do blog, fique à vontade para deixá-la aqui nos comentários… Se não quiser que a sua identidade seja revelada, é só clicar em CONTATO, preencher o formulário, ou então deixar uma mensagem na nossa página do Facebook 😉 Vamos ficar muito felizes em poder compartilhar contigo esses desabafos e sentimentos <3
The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *