Textos dos colaboradores

Você escolheu perdê-la

Você até vai conhecer outras garotas, vai tentar gostar de alguém, se entregar, vai desejar conhecer alguém que te faça esquecê-la, mas o seu sorriso está em toda parte, você é capaz até de ouvir sua risada.

Eu sei, você vai provar outros beijos, e se perder em outros perfumes, mas o dela… Ah o dela você não vai conseguir esquecer! Você até vai querer conhecer outros lugares, vai tentar gostar de outras coisas, mas em sua memória sempre estará a imagem dela.
Sua playlist pode mudar, seu corte de cabelo também, mas o que está em seu coração pode levar tempo para mudar. Você vai buscar formas de fugir dela e do que ela causa em você. Vai tirá-la de suas redes sociais, do alcance dos seus olhos, mas nada que você faça será capaz de te fazer fugir da saudade que sente dela.




Você vai tentar sair com os amigos, fazer parte de alguma outra turma, vai querer curtir outro tipo de música, mas só você saberá o vazio que vai encontrar em casa quando chegar sem ela.
Sua manhã não terá mais motivo para ser boa e sua noite não terá mais o calor para que você descanse tranquilo. Você não terá mais ninguém te dizendo por mensagem que sentiu sua falta no meio daquela reunião chata, nem alguém sentindo saudade no meio da semana. Você não terá mais alguém preocupado quando sua garganta doer nem quando seu dia for um caos.
Você pode até procurar em outros braços, mas não encontrará o abraço dela. Você pode procurar algo, alguém que te faça lembrar ela, mas acredite: não será ela.
E sabe por quê? Você não terá mais ela, porque você a deixou partir, porque você não deu motivos suficientes para ela ficar, você não deu chance para ela olhar para trás. Você a perdeu porque você escolheu que fosse assim.
E por mais que você se esforce você sabe que ela era o melhor pra você, mas talvez você perceba isso tarde demais. Hoje ela já não aceita tudo que a vida lhe trás de volta, apesar de ela ter certeza que o mundo dá muitas voltas.


Gisele Ribeiro, Gaúcha – Gremista – Escorpiana. Jornalista e Relações Públicas, mora em Caxias do Sul, RS. Apaixonada por livros, música, poesia, chimarrão e cachorro. As coisas simples a encantam e as palavras a transbordam.


Se você quiser fazer perguntas sobre a vida, o amor, sobre os nossos sentimentos tão contraditórios ou se quiser que sua história se transforme em textos aqui do blog, fique à vontade para deixá-la aqui nos comentários… Se não quiser que a sua identidade seja revelada, é só clicar em CONTATO, preencher o formulário, ou então deixar uma mensagem na página do Facebook 😉

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *