Textos dos colaboradores

Não estou dizendo que você é um mentiroso

Nossa mente é algo particularmente peculiar, pode nos fazer resolver algo tão complicado em questão de segundos ou tornar algo simples em um problema de dimensões imensuráveis. Mas tudo não passa dos nossos medos tomando conta de tudo aquilo que nos importa, é como se estivéssemos nos afogando no raso, mesmo sabendo que se
nos colocarmos de pé tudo vai acabar, porém o desespero, o receio de não dar certo, de não conseguirmos nos cega e nos torna incapazes de perceber o que realmente está acontecendo ao nosso redor.

Pensar demais sempre foi o principal problema, imaginar mil e um cenários possíveis para algo que poderia ser facilmente resolvido, mas talvez isso não faça parte de quem eu sou, talvez todos esses pensamento que muitas vezes dominam minha mente, sobretudo aquilo que é novo ou que considere como, seja o que me difere e me torna, de alguma forma, esse alguém que eu sou, por mais que muitas vezes pensamentos me prejudiquem ou me façam desistir de algo cujo o qual ainda nem tentei.




Em que momento deixei que meus medos tomassem as rédeas de tudo que pode ser bom para mim? No fim acabo sendo meu maior inimigo nas horas em que deveria ser o contrário; mas com o tempo aprendi a controlar o que o medo poderia decidir, não posso diminuí-lo ou simplesmente evitá-lo, mas posso fazer com que ele tenha menos influência em decisões que vão além de um “sim” ou “não”.

Não importa quantos pensamentos rodeiem nossas mentes sobre as coisas que consideramos importantes, eles mentem em sua maioria, ninguém pode prever o futuro, ninguém pode lhe dizer que tudo pode dar errado baseado em experiências próprias, pois nada vai acontecer com você exatamente como aconteceu com os outros… E mesmo que aconteça, quebrar a cara faz parte do aprendizado do que é viver, porque quanto mais difícil algumas coisas possam parecer, mais valerá a pena, já que não é qualquer coisa, é algo realmente importante para você e nada, ninguém e nem mesmo você pode dizer o contrário. Viver com medo do amanhã é se negar a viver o hoje pelos resultados que ele pode ter em um futuro até então incerto.


Alex Jezuino de Barros, 20 anos, sagitariano, nasceu em Conchal, interior de São Paulo e atualmente mora na cidade de São Paulo, onde cursa Têxtil e Moda na EACH USP; gosta de ler, músicas de todos os estilos, séries e filmes diversos.


Se você quiser fazer perguntas sobre a vida, o amor, sobre os nossos sentimentos tão contraditórios ou se quiser que sua história se transforme em textos aqui do blog, fique à vontade para deixá-la aqui nos comentários… Se não quiser que a sua identidade seja revelada, é só clicar em CONTATO, preencher o formulário, ou então deixar uma mensagem na nossa página do Facebook 😉


Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí – SP e mudou-se para São Paulo – SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt. Foi premiado em 5º lugar no XV Concurso Literário JI / AEPTI, na categoria Contos e Crônicas.

Entre em contato: ribashugo@hotmail.com

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *