Textos dos colaboradores

Eu, meu primeiro Amor!

Ah, o amor! Só a palavra já reflete doçura, leveza, carinho, união, lealdade, amizade. Quantos sentimentos estão contidos nesta pequena e potente palavra: AMOR. Sinto uma vibração e linda energia que vem junto ao som desta palavra quando me conecto ao profundo significado dentro de mim sobre o que entendo por amor. Internamente sinto que tenho outros bons sentimentos despertados quando penso na grandeza deste sentimento e principalmente quando recebo ele, o amor, de alguém querido. Ah, como é bom ser amada, sentir este bem querer de forma genuína.

Estou aprendendo com a vida que o amor é melhor quando é dado e recebido de braços abertos, sem restrições, sem medos, sem amarras, ele é a coisa mais pura e linda, principalmente quando de forma incondicional, recebendo e doando sem esperar nada em troca: apenas usufruindo da força de sua energia. Entendi que muitas vezes queremos cobrar dos outros este amor que está aqui dentro de nós e não conseguimos senti-lo e perceber que o temos a nossa disposição, basta que eu resolva acessá-lo. Descobri que este amor próprio é o alicerce para qualquer outra relação que tenho na vida. Essa é a base em que vou determinar a qualidade de minhas relações com amigos, família, trabalho e é claro, no relacionamento amoroso.




Pois é, não é fácil se autorresponsabilizar de forma total por nossa vida: sim, sou coresponsável por tudo que me acontece, então bora fazer a minha parte. Vou redescobrir o prazer e a alegria de estar em minha própria companhia – fazer desta parceria: Eu e meu amor próprio uma dança de amor, companheirismo, sintonia, vou viajar profundamente nesta relação para dentro de mim, vou mergulhar fundo e saber quem eu sou, o que gosto, o que me faz feliz e depois que redescobrir tudo isso e estiver de bem comigo nesta relação Eu e Eu, poderei me “jogar” na vida e no mundo de uma forma mais inteira, integrada, consistente para manter relações com os outros de forma mais saudável e esperando cada vez menos coisas em troca porque estarei preenchida comigo mesma, e ai, vou doar aos outros aquilo que estou vibrando e sentindo: Amor!

 


Alline Gallicchio – Uma alma sonhadora, buscadora. Terapeuta Reiki e Administradora. Uma Porto Alegrense morando em Nova Petrópolis – RS. Facilitadora de grupos de Comunicação Não Violenta e estudiosa de assuntos espirituais e amante de boas leituras. 


Se você quiser fazer perguntas sobre a vida, sobre o amor, sobre os nossos sentimentos tão contraditórios ou se quiser que sua história se transforme em textos aqui do blog, fique à vontade para deixá-la aqui nos comentários… Vamos adorar ler sobre a sua vida e seus pensamentos! Se não quiser que a sua identidade seja revelada, é só clicar em CONTATO, preencher o formulário, ou então deixar uma mensagem na nossa página do Facebook 😉


Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog, ele adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador, histórias e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí – SP e mudou-se para São Paulo – SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt. Foi premiado em 5º lugar no XV Concurso Literário JI / AEPTI, na categoria Contos e Crônicas.

Entre em contato através do site ou pelo e-mail: ribashugo@hotmail.com

The following two tabs change content below.
Hugo Ribas é pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Criador deste blog e colunista do blog Que Me Transborde, adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e pensamentos se fundem num texto só. Nasceu em Jundiaí - SP e mudou-se para São Paulo - SP aos 16 anos, onde se formou em Design Gráfico e cursou teatro pelo Teatro Escola Macunaima. Apresentou peças de Gianfrancesco Guarnieri e Friedrich Dürrenmatt.

Latest posts by Hugo Ribas (see all)

Comments

comments

1 thought on “Eu, meu primeiro Amor!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *