hugo ribas para nos os solteiros
Textos dos colaboradores

Para nós, os solteiros

Pra nós, os solteiros.

Parabéns, você também é do time dos que enfrentam o frio do dia 12 de junho na melhor companhia possível: a do café.

Você também é daqueles que não tem motivo algum para dar um presente dia 12, mas não consegue se separar da data, afinal, a publicidade faz questão de te lembrar que todos aqueles corações vermelhos, cor-de-rosa, bordô e de qualquer outra cor carregam em si amor.

Você, você mesmo que há um bom tempo não segura a mão de ninguém a não ser a dos clientes que te cumprimentam. Você que não carrega o nome de ninguém em uma argola de metal; você que já não sabe mais o que significa a escala de almoços de domingo…

Você que prefere nem ouvir Jorge e Mateus com medo de se descobrir apaixonado através das letras; você que sempre ouve a frase “e a vida amorosa, como anda?” e não sabe o que responder. Você, você mesmo que se identificou com cada frase citada anteriormente; você é solteiro. Isso mesmo, solteirinho da Silva.

Você que ajuda as amigas a comprar presente do boy (delas) porque afinal, você não tem um boy. Você que ajuda os amigos a solucionar D.R. (deles) com a namorada, pra que tudo fique bem porque você não tem uma namorada, mas agiria assim caso tivesse. Você que ama alianças, mas que nunca usou uma, ou se já usou, agora não usa mais. Você que anda tão desiludido com o amor que já chegou a dizer aos amigos que não nasceu para isso.

Deixa eu te contar uma coisinha: no time dos solteiros, todos jogam de maneira semelhante, e até mesmo igual. Todos já sofreram as mesmas desilusões, já se apaixonaram perdidamente, já abriram mão de um relacionamento conturbado…

Todos já amaram com todas as forças que o universo lhes permitiu. Então, estamos todos caminhando no mesmo sentido; somos jovens, dispostos, bonitos, e de certa forma bem sucedidos, afinal estamos trabalhando, estudando, buscando um futuro “melhor” por assim dizer.




Mas nossa maior semelhança é o fato de que nossa solteirice esconde muita coisa, inclusive a enorme vontade de amar outra vez. Sim, eu sei, a vida de solteiro é maravilhosa! Quem um dia irá dizer que não existe razão nas coisas feitas sem aliança na mão? É claro que existe! Mas de boca em boca, de copo sempre cheio e coração vazio, a gente vai cansando, e de repente percebe que não queria estar sozinho.

De repente se dá conta de que queria ir para casa abraçado com alguém. Aos poucos a gente vai se dando conta de que sim, seria muito bom ter com quem conversar após chegar do trabalho, ou alguém com quem ir junto à academia, ou mesmo alguém para levar ao shopping no fim de semana.

A vida de solteiro é assim: um dia você está tão bem que agradece por estar sozinho, e no outro acorda carente, querendo ter com quem tomar um cappuccino à noite.

Mas além dessa forte vontade de amar, há também as muitas cicatrizes trazidas pelas últimas experiências. Há as memórias tristes de choros e soluços acumulados com o passar do tempo. Há a sensação de mediocridade por não ter um relacionamento duradouro. Há a família sempre questionando sobre a vida amorosa. Há o medo de se machucar outra vez, ou pior, reviver algo que calou no coração.

É bonito ser solteiro, mas nem sempre é assim. Então, sabendo dessa sua ânsia por amor e dessa sua falta de fé em relacionamento, quero te dizer uma coisa: continue solteiro. Isso mesmo, continue, com todas as letras.

Aproveite sua solidão, desfrute de sua companhia, tenha prazer em estar consigo mesmo. Não se permita entregar o coração à primeira pessoa que se mostrar interessada. Não queira abraçar quaisquer braços. Não torne prioridade em sua vida quem não deseja ser nem mesmo opção.

Ser solteiro e feliz te ensina a ser mais seletivo e direto em suas escolhas. Estar bem com sua situação te permite pôr a cabeça no lugar antes de tomar qualquer decisão. Então busque, aproveite seu tempo de espera e analise suas prioridades; conheça a si próprio antes de querer conhecer alguém. Permita-se viver coisas novas, visitar lugares, conversar com gente que nunca conversou. Acumule experiências ao invés de acumular nomes. Seja pleno em seu caminho e você encontrará luz.

Não fique triste por estar só; fique feliz por não estar em má companhia outra vez. Agradeça ao universo por ele lhe dar o maior de todos os direitos: o de escolha. Viva sua solteirice, abrace seus próprios sorrisos. Quando você estiver bem o suficiente para fazer bem aos outros, a própria vida se encarregará de trazer a você alguém disposto a te abraçar da forma como ninguém ainda fez.

Mas enquanto isso, uma salva de palmas para nós que alegramos a noite, a família e a roda de amigos. Parabéns para nós o motivo de torcida de todos os que nos cercam. E que sejamos felizes todos os dias, nós, os solteiros.


Se você gostou desse texto da Raquel Gonçalves, deixe seu comentário <3 E olha, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Eu, meu primeiro amor

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde e Recalculando a Rota.

The following two tabs change content below.

Raquel Gonçalves

Raquel Gonçalves, Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.

Latest posts by Raquel Gonçalves (see all)

Comments

comments

1 thought on “Para nós, os solteiros”

Comments are closed.