hugo ribas fora do virtual
Textos dos colaboradores

Fora do virtual, amor real

Fora do virtual, amor real.

Abra seu feed do Facebook. Isso mesmo, abra-o. Veja sua foto de capa. Agora veja a do perfil. Agora desça, e lentamente veja suas últimas publicações.

Se suas publicações foram sobre amor (sendo você comprometido ou solteiro), vamos conversar.

A rede social é sua e você publica o que quiser. Ponto. Quem não quiser ver, que deixe de te seguir ou algo assim. Mas há algumas verdades por trás das infinitas publicações sobre amor. Se você é solteiro, sem dúvida alguma uma das verdades é sua vontade de amar alguém. Você tem vontade de partilhar um pouco desse amor através de fotos e tudo mais. Aqueles versinhos compartilhados da “Que Me Transborde” dizendo que “cada vez que te olho, te amo mais” revelam que ou você está apaixonado, ou simplesmente gosta de amor mesmo.

Mas também há uma realidade um pouco mais forte por atrás de tudo isso: você (realmente) quer viver toda essa intensidade que posta quase todos os dias. Você quer ao menos acreditar que vai encontrar o amor da sua vida em alguma esquina, e, de mãos dadas, vocês ganharão o mundo. Você ainda espera por um amor na medida certa que vai lhe arrancar beijos e sorrisos sem pedir nada em troca.

Você fala de amor porque está transbordando em sentimento, e todo esse excesso precisa ser compensado.

Então, para você solteiro que sonha em alterar o status do Face e também o da vida, eu dou um conselho: quando for amar, ame mesmo, de verdade, mas não apenas no ambiente virtual. Ame mesmo sabe? Daqueles amores que aparecem do nada com flores, chocolates e muito beijo na boca. Ame ao ponto de virar a noite acordado ao lado da outra pessoa no hospital porque ela está com dor de estômago. Ame tanto que não apenas a internet vai saber disso, mas também as pessoas que os virem rindo juntos na fila do pão.




Ame, mas ame fora do ambiente online também. Ame, mas não precise do “amei” de ninguém para alimentar esse amor.

Mas talvez, você seja parte do time dos comprometidos. Sim, aqueles que usam a foto da semana passada como capa, e que a cada cinco minutos postam uma nova selfie. Daqueles que usam “casado” como status após 5 dias de namoro. Daqueles que compartilham perfil para “evitar maiores problemas”.

É lindo ver casais felizes na timeline. Eu por exemplo, adoro. Acho o máximo aquele povo que faz uma selfie zoada com o mozão e publica para causar sorrisos em quem ver. Mas, assim como os solteiros, os comprometidos tem suas verdades por trás de cada post. É triste ver uma enorme publicação afixada no mural com 500 reações, 3.265 comentários, e nem ao menos um “curtir” d@ crush.

Nem sempre quando um casal publica um álbum de fotografias as coisas estão bem entre eles. Nem sempre quem dá “amei” está amando. Nem sempre os corações vermelhos são sinônimos de amor. Às vezes, infelizmente, isso tudo é mera formalidade.

Então, a você que tem alguém e está no mundo online, dou outro conselho: ame, fotografe, grave, marque… Mas faça tudo isso na vida real. Compartilhe momentos, e não publicações. Tire fotos, milhares de fotos, mas para vocês verem quando estiverem velhinhos e poderem rir juntos, e não para provar ao mundo o quanto seu relacionamento é legal; você não precisa provar nada a ninguém.

Sua rede social está maravilhosa, mas e seu coração, como está? Todo esse excesso de postagens tem sido excesso de amor também. Ou na verdade é apenas uma forma de esconder a falta de sintonia entre vocês? Ame! Ame mesmo, ame ao ponto de não lembrar de publicar o momento, afinal, você vai querer guarda-lo apenas para vocês dois.

Seja você solteiro, crush, comprometido ou qualquer outra coisa, lembre de aproveitar cada segundo do seu dia ao lado de quem se ama e deixar o resto para depois. Traga para sua vida cotidiana todo esse mundo cor-de-rosa presente dentro de você. Deixe que digam, que falem, que notem. Deixe que façam o que quiser! O importante é não se prender apenas no que é irreal. Viva o real, o palpável. Abrace, beije, acaricie, morda, toque. Ame no mundo real, pois o irreal só estará ali enquanto você quiser, mas o que se constrói na vida de verdade, pode ser levado para sempre.


Se você gostou desse texto da Raquel Gonçalves, deixe seu comentário <3 E olha, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Eu me acostumei com a pessoa errada

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.


“Lembrar de você não dói mais. Pensar em você é como lembrar de uma piada tola… A gente dá uma risadinha e logo esquece.” – Hugo Ribas

The following two tabs change content below.

Raquel Gonçalves

Raquel Gonçalves, Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.

Latest posts by Raquel Gonçalves (see all)

Comments

comments

2 thoughts on “Fora do virtual, amor real”

  1. Pingback: A vida não espera

Comments are closed.