eu procuro um amor que seja bom pra mim
Textos dos colaboradores

Eu procuro um amor que seja bom pra mim

Eu procuro um amor que seja bom pra mim.

Já me apaixonei milhares de vezes. Sério, milhares mesmo. Já conheci pessoas legais, interessantes, inteligentes, que beijavam bem, com muita pegada, e muita vontade também.

Mas também já tive o desprazer de conhecer gente sem sentido, que se sentia superior às demais pessoas. Gente que falava difícil, mas não comunicava nada com os olhos. Que não gostava de andar de mãos dadas porque “podia pegar mal” caso alguém visse.

Já gostei de algumas pessoas. Já gostei do perfume, do calor do abraço, do sorriso de lado que se abria ao me ver. Já gostei dos músculos fortes… E também do cabelo despenteado que parecia ficar tão sexy quando misturado à jaqueta preta. Já gostei dos “bom dia” e também dos “quando chegar em casa me avisa”. Já gostei do jeito maroto de conversar e do jeito adulto de trabalhar.

Mas também já gostei de quem não merecia estar ali. Já gostei de ser maltratada, e o pior é que de tanto gostar, pensava estar fazendo a coisa certa. Já gostei de ouvir sobre as ex, pensando que era superior à elas, e hoje sei que na verdade eu era apenas mais uma.

Já gostei dos meios sorrisos abertos na malandragem… Sabe, aquele sorriso de lado, que se abre por saber que o seu também vai se abrir? Então, ele não surgiu naquele rostinho lindo simplesmente por você estar ali, na verdade, ele surgiu na maldade, só pra te ver ficar serena enquanto cria expectativas.

E o mais difícil de assumir é ao mesmo tempo o mais bonito: eu já amei. Eu já amei um par de olhos verdes que brilhava ao me ver. Eu já amei um abraço tão intenso que mais parecia beijo na boca regado à saudade.

Eu já amei conversar sobre futebol, chocolate e música. Eu já amei observar como a pólo rosa tornava seu rosto mais másculo, e os óculos de lente marrom faziam seu queixo parecer mais quadrado.




E de tanto amar, amei sozinha. Mergulhei de corpo e alma, sem nem olhar para baixo, e só após cair no chão duro percebi que minha profundidade não era recíproca. Dei um salto tão alto, de braços abertos, para ficar caída na pequena poça que eu tanto amava. E tão intensa que era, tentei dividir minhas águas com a poça, para torna-la mais funda e profunda, mas não adiantou e não adiantaria; o que é raso, mesmo que transborde, continua raso.

Eu só quero um amor que seja bom pra mim. Um desses que vem com abraço e beijo, com olho no olho, respiração ofegante e apelidos bobos. Um amor cozido no fogo baixo, aos poucos, que primeiro fica quente, e depois ferve, e após ferver não se apaga, porque o fogo baixo, apesar de parecer pouco, é mais difícil de perder força que o fogo alto.

Um amor que cante pra mim, mesmo que seja desafinado, e que segure minha mão sempre que quiser, sem precisar da provação de seus amigos para fazê-lo. Um amor que brigue, mas que após brigar consiga se desculpar comigo e voltar ao normal, sem julgamentos, sem esfregar os erros na cara, sem fazer joguinhos mentais esperando que “eu perca o jogo”.

Dizem que quando o amor chega, ele muda nossas vidas. Bem, então, que esse amor chegue e coloque no lugar as incertezas do meu coração. Que ele me ajude a construir um universo só nosso, onde eu não tenha medo de a qualquer instante ficar sem chão (mais uma vez). Um amor que não apareça do nada com outra garota ao seu lado, e que não tenha tanto ciúmes que mais pareça desconfiança. Um amor que goste de mim do jeitinho que eu sou, e que

acredite nos meus sentimentos também. Eu só quero alguém que quando me abraçar dê conta de tomar em seus braços a minha alma, e com isso me mostre que sim, ainda há gente legal no mundo.

Eu só quero entregar meus excessos a quem deseja se exceder também, para que juntos possamos curar nossas feridas ao invés de abrir mais algumas. Alguém que esteja ao meu lado quando eu estiver linda, e também quando estiver precisando de cuidados.

Alguém que diga que veio pra ficar e que fique. Alguém com quem eu tenha segredos só nossos, e não coisas a esconder. Um porto seguro para abrigar meu navio, e que também seja o mar onde vou navegar. Como cantou Frejat: Eu procuro um amor que seja bom pra mim. Vou procurar, eu vou até o fim.


Se você gostou desse texto da Raquel Gonçalves, deixe seu comentário <3 E olha, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: O palco agora é meu

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.


“Lembrar de você não dói mais. Pensar em você é como lembrar de uma piada tola… A gente dá uma risadinha e logo esquece.” – Hugo Ribas

The following two tabs change content below.

Raquel Gonçalves

Raquel Gonçalves, Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.

Latest posts by Raquel Gonçalves (see all)

Comments

comments

1 thought on “Eu procuro um amor que seja bom pra mim”

Comments are closed.