hugo ribas Talvez tenha sido sempre voce
Textos dos colaboradores

Talvez tenha sido sempre você

Talvez tenha sido sempre você

Talvez nós precisássemos de um tempo, talvez aquela nossa briga fosse necessária. Talvez não tenha sido um erro me afastar de ti. E bem lá no fundo, quem sabe, eu já soubesse que um dia nos encontraríamos novamente.

Tudo parece do mesmo jeito, a não ser pelo fato de termos amadurecido e nos tornado adultos. Mas temos os mesmo sonhos ainda e o mesmo jeito de ser, tudo parece tão igual que chega a assustar.

É como se você nunca tivesse se afastado de mim, como se tivesse permanecido em meu coração todo esse tempo, escondido, somente ouvindo tudo o que eu sentia. Como se eu estivesse aí na sua bagagem, escondida entre seus livros, apenas te observando, te cuidando mesmo sem saber.

Ainda sei dos seus segredos e como sua voz tem um tom firme e suave ao mesmo tempo. Ainda sei como seu olhar diz tudo e entrega seus sentimentos. Ainda sei como seus olhos mostram o caminho para nós. Sei exatamente quando está bravo, pelo simples fato que desvia o olhar e insiste em olhar para longe.

Ainda sei como seu sorriso me domina, de uma forma boa. Ele encanta qualquer um que o olhe meio de lado. É o mesmo sorriso que coloca cor até nos dias mais cinzentos.

Acho que te reconheceria mesmo que se passassem 10 anos… E mesmo assim eu ainda saberia sua comida favorita, saberia da sua aversão por qualquer tipo de falsidade… Você ainda seria o mesmo. Aquele mesmo cara que odeia a palavra odiar. Aquele cara com o coração tão puro que não cabe mais que um sentimento por vez, coisas ruins ficam para o lado de fora da porta, não tem passagem, muito menos espaço no meio de tantas coisas boas.

Eu ainda saberia que você ri como um garoto quando ganha presentes de Natal quando te elogiam. E que você tem um certa mania de dizer que não é bonito, como se as pessoas realmente fossem acreditar.




Sei que nunca senti seu cheiro, mas tenho certeza que é o mesmo que visita meus sonhos as vezes.

Acho que somos ligados de alguma forma, de algum jeito meio louco e inexplicável. Você sempre esteve comigo e eu com você, acho que nossos relacionamentos não deram muito certo, para nos mostrar que estávamos perseguindo um falso amor, pois o verdadeiro só estava entre nós.

Mesmo sem nunca ter te visto, mesmo que você nunca tenha me olhado nos olhos, eu sei exatamente como você se sente perto de mim. Conheço o jeito como você sorri ao escutar minha voz. Sei que talvez o seu abraço seja a morada que eu tanto quero e sei também que o meu é onde você mora, nos sonhos e na realidade.

Mesmo que nunca tenha te tocado, sinto seus braços em volta de mim, sinto seu hálito de chiclete e sinto suas mãos nas minhas, entrelaçadas, me fazendo perceber que você foi o que eu sempre quis.

Sei de tudo isso, e de uma certa forma sei também que você talvez seja aqueles amores clichês dos livros que leio, ou das músicas que escuto. E quer saber de uma coisa? É justamente um desses amores que meu coração sempre quis, sempre esperou. E então você chegou, trazendo na mala um amor incerto, apenas com um violão e um sorriso no rosto. Exatamente o que eu precisava. Exatamente o que nós planejávamos.


Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: Quando se ama alguém

Saiba um pouco mais a respeito da Bia Civa clicando aqui.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

The following two tabs change content below.

Bia Civa

Bia Civa, 19 anos, mora em Mato Castelhano/RS, canceriana, apaixonada por livros, música e violão, gosta das coisas simples da vida, um abraço apertado, um perfume, um beijo ou até mesmo um aperto de mão.

Latest posts by Bia Civa (see all)

Comments

comments