E eu ainda penso em você, repenso em nós

E eu ainda penso em você, repenso em nós.

Não sei dizer quantas vezes já escrevi seu nome nos últimos dias. Em papel, na internet, no vidro embaçado, na palma da mão… Em tudo. Cada cantinho que possa ser escrito torna-se um caderno ao me lembrar de você.
Eu não estou bem. Sério, eu não estou mesmo. Estou vivendo, seguindo tranquila meus dias. Estudando, trabalhando, comendo coxinha ao invés de almoçar, e muito café para aguentar os porres. Estou sorrindo, cantando, fazendo selfie com as amigas, caminhando longas distâncias. Estou tudo, menos bem.

E o mais difícil é que tenho de estar forte e deslumbrante para o mundo. As pessoas não aceitam bem a dor alheia, sabia? Elas tratam com o mesmo desdém que dão à uma caneca de alumínio na prateleira de uma loja. Mas fazer o quê, elas não são obrigadas a compreender, não é mesmo? Elas não sabem que dentro desse aglomerado de carne que mais parece um trator que passa por cima de tudo pulsa um coração, vibra uma alma e revira um estômago repleto de borboletas.

Hoje à tarde me peguei pensando em você. Fui tomar um café, e para espairecer recostei na varanda para olhar a rua. Caramba! Parece brincadeira, mas do carro preto que cruzou o semáforo à velhinha de rosa tomando sorvete, em tudo eu vi e revivi você. E quando fui surpreendida pela chuva de verão que caía rapidamente, não teve como fugir de rir sozinha pensando que a garoa combina com você; fria e rápida, porém intensa.




Sei que não há clichê maior que dizer que com você é diferente, mas bem, a verdade é essa, e não posso me negar a dizê-la em alto e bom som. Com você é tão diferente que não sou capaz, e nem quero ser de odiá-lo por ter soltado minha mão.

Quando você me deu as costas tudo o que mais quis foi dizer-lhe que você estava errado em sua escolha! E que se arrependeria! Mas ao invés disso meu coração preferiu dizer a mim mesma que mesmo longe você estaria perto.

E quando não dormi à noite sofrendo a saudade dos teus olhos nos meus, ao invés de lhe xingar até a quarta geração, preferi sorrir relendo nossa última conversa… Preferi pensar que a lua cheia daquela sexta-feira era linda, mas não tanto quanto ver o seu sorriso se abrir pro meu.

Oh moreno, se você soubesse a saudade que eu tô, você chegaria de repente, me pegaria de jeito e faria meu corpo vibrar.

Não sei como, nem porque, mas compreendo sua ida. Compreendo que algumas coisas não estão sob o nosso domínio, e que vez ou outra o destino dá só uma juntadinha bem rápida, e depois põe cada um para o seu lado outra vez. Engraçada a vida né? Num dia ela te dá o céu, e no outro tira-lhe o chão. Mas tudo bem, não lhe quero mal; quero que sinta de mim a mesma falta que sinto de ti, e que apesar disso esteja bem (porque eu não estou, e não quero que esteja como eu).

Vai viver rapaz, vai. Vai viver! Segue sua vida no mundo humano sabendo que existe aqui uma moça pensando em como a imensidão escura dos teus olhos consegue ser mais bonita que o clarear do alvorecer. Não se sinta só, nem perdido; você está sempre dentro do meu coração, e será guiado por meus pensamentos. Tenha na alma a certeza de que um dia foi imensamente amado, e que mesmo daqui mil anos ainda será.


Se você gostou desse texto da Raquel Gonçalves, deixe seu comentário <3 E olha, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Vou esquecer de tudo o que senti por você

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.


“Lembrar de você não dói mais. Pensar em você é como lembrar de uma piada tola… A gente dá uma risadinha e logo esquece.” – Hugo Ribas

Raquel Gonçalves

Raquel Gonçalves, Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.

2 comentários em “E eu ainda penso em você, repenso em nós

Os comentários estão desativados.