Te encontrei por aí

Te encontrei por aí.

Todos os dias me deparo com sua voz me acordando, dizendo num tom suave o quanto estou linda com o cabelo bagunçado. Você vira e me pega pela cintura, me encolho e me ajeito em teu peito, e ali sorrio ao pensar quanta sorte eu tenho só por ter você.

Olho em seus olhos e vejo nosso futuro. Talvez duas cópias da gente correndo pelo jardim, um cachorro e um gato. Muitos pés de manga pelo quintal. Girassóis para florir a vida quando tudo parecer chato demais. Que é pra colorir, quando nossas brigas roubarem as cores.

Caminhando pela estrada, avisto a menina que já fui, a imaturidade e os dias em que eu nem imaginava te encontrar. Eu te procurava nos romances da estante, te procurava nos filmes melosos que passavam na tv, sem nem ao menos saber, que eu te encontraria… Uma hora ou outra, eu te encontraria.

Lembro dos dias debaixo das palmeiras, curtindo o entardecer. E dos dias chuvosos na varanda da sua casa, um cobertor, um café e muito amor. Seus olhos brilhando ao olhar as nuvens, o sorriso no canto da boca e o desejo de jamais sair dali.

Percebo que parece clichê falar assim, mas será que você sempre foi pra mim?

Tem dias que dá vontade de te ninar, apertar suas bochechas e dizer o quão maravilhoso você é. Tu diz que sou exagerada, que nem é tudo isso. Quem dera se você pudesse se ver, com os meus olhos e se amar com o meu coração. Quem dera se todos os dias você olhasse no espelho e enxergasse o que eu vejo quando olho pra ti… Pra tudo que você é, tudo que se tornou, tudo que ainda vai ser.




É engraçado e maluco pensar que me apaixonei pelo inverso do que eu sonhava. Eu me apaixonei pelo cara turrão e teimoso que eu jurei nunca querer, me apaixonei pelo seu sorriso no mesmo instante que o vi, lá de longe, já percebi, que você tinha sido feito para mim.

É estranho falar assim, mas toda a nossa história foi construída com amor. Tudo que era meu, agora é teu também, inclusive meu coração. Sei que de alguma forma, você é o cara que eu imaginava todos os dias antes de dormir. Era aquele príncipe dos livros do Nicholas Sparks que eu achei que nunca fosse encontrar… E encontrei em uma rua qualquer, cheio de sacolas na mão, desastrado, te encontrei em um esbarrão.

Te encontrei assim que te vi se aproximando. Te encontrei no “Oi” tímido. Te encontrei no reflexo dos olhos. Eu te encontrei por aí, como quem não quer nada, andando, meio louco, louco por um amor. Te encontrei correndo na praça e na padaria comprando pão, te encontrei no elevador do trabalho e pensei: “Você de novo por aqui?”.

Te encontrei comprando girassóis, te encontrei no buquê que recebi na minha porta. Te encontrei nas letras do cartão e no perfume que o acompanhava. Te encontrei por aí e em você me encontrei. Me encontrei e ali fiquei, fiquei por que ali tinha amor, dos mais verdadeiros que já vi.


Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: Quando se ama alguém

Saiba um pouco mais a respeito da Bia Civa clicando aqui.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Bia Civa

Bia Civa, 19 anos, mora em Mato Castelhano/RS, canceriana, apaixonada por livros, música e violão, gosta das coisas simples da vida, um abraço apertado, um perfume, um beijo ou até mesmo um aperto de mão.

Um comentário em “Te encontrei por aí

Os comentários estão desativados.