O amor meio termo que eu sempre quis

O amor meio termo que eu sempre quis.

Nunca esperei realmente me apaixonar por alguém tão diferente de mim. Ao mesmo tempo eu tinha a total certeza de que alguém parecido comigo seria muito sem graça. Eu queria mesmo era o meio termo… Nem tão diferente, nem tão igual. Queria mesmo era me apaixonar perdidamente e sentir todas essas coisas que leio nos romances da minha prateleira.

Naquela tarde eu realmente precisava de um sorvete, tinha que ser de chocolate, mas acabei apenas encontrando morango. Quem diria que eu encontraria o amor da minha vida em um esbarrão. Pois bem, deixe-me contar para vocês…

Eu estava lá com tanta pressa de acabar com o meu sorvete enorme, que nem olhei quando saí na rua. Acabei esbarrando em alguém e sujando toda a minha roupa com o sorvete maravilhoso e enorme que eu iria devorar. Nem olhei para a pessoa! Fiquei furiosa, mas de repente escutei uma risadinha. Olhei para frente e vi que o muro em que eu havia esbarrado era o cara mais lindo desse mundo!! Sem exagero nenhum, era 1,90 de pura perfeição. E ele estava rindo da minha cara, o que me deixou mais furiosa ainda! Ele podia ser o cara mais lindo e tal mas mesmo assim me devia um pedido de desculpas.

Ele sorriu e disse que eu devia olhar mais por onde ando. (Mal sabia ele que se fosse pra esbarrar nele de novo, eu faria questão de ir na sorveteria todos os dias).Olhei nos olhos dele e de alguma forma senti que era o cara por quem eu me apaixonaria. Parece loucura e tudo mais, mas eu realmente me apaixonei por ele no mesmo instante que escutei o seu riso. Era doce e tinha um toque meio amargo no meio, tipo esses chocolates que você jura que não gosta.




Fui para casa e abri minhas redes sociais. Ele estava lá. Ele teve a cara de pau de me adicionar. Mas como exatamente ele descobriu meu nome eu juro que não sei. (Parece essas coisas loucas de amor).

Conversamos por muito tempo, por mensagem, por ligação, pessoalmente. E como se fosse impossível, eu me apaixonava por ele todos os dias, cada dia um pouco mais.

Essas coisas são tao engraçadas… Num dia eu jurava querer alguém muito diferente de mim, no outro eu queria alguém muito parecido comigo… Acabei encontrando o meio termo, acabei encontrando o cara que era o oposto dos príncipes dos meus romances, mas que no final de contas me deu tudo que eu sempre quis, o tal do verdadeiro amor.

Senti todas as coisas que uma pessoa apaixonada sente, exceto nos dias em que ele deixa a toalha molhada no chão! Tem também aqueles dias em que ele me irrita até eu sorrir e dar a brecha que ele queria para me fazer cosquinhas. Ele sabe que eu odeio cosquinhas, mas faz mesmo assim.

Porque ele é diferente, é meio termo. Porque quando eu preciso de um toque doce, ele está ali, mas quando eu sei que está doce demais ele vem e deixa tudo um pouquinho amargo, que é pra ficar com gosto de quero mais… Que é pra saber que nesse mundo louco de perfeições, eu achei meu defeito mais perfeito, eu encontrei ele, e isso já basta. Porque ele é o tal do felizes para sempre.


Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: Você superou tudo tão rápido

Saiba um pouco mais a respeito da Bia Civa clicando aqui.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Bia Civa

Danúbia Civa, 21 anos, mora em Mato Castelhano/RS. Gosta dos romances mais doces e dos livros mais clichês. Apaixonada por sentir ao extremo, de preferência o amor. Gosta de sonhar, das coisas mais simples e dos perfumes mais marcantes. Uma garota clichê que adora viver, ler e escrever romances.