Eu vou dar a volta por cima

Eu vou dar a volta por cima

Uma vez minha mãe me disse o seguinte: “Nós fazemos o nosso dia… Se as coisas não estão muito bem, nós podemos dar a volta por cima.”

Acho que tenho que colocar isso em prática…

Depois que você se foi as coisas aqui ficaram meio bagunçadas. Eu não consigo colocar em ordem o que você deixou no chão; foram tantas memórias deixadas no chão da sala que fica difícil de juntar… Superar…

Foram tantos abraços deixados na escrivaninha do meu quarto e tantos beijos caídos como sementes no meu jardim que eu não sei como recolher tudo.

Desde que você se foi, eu continuo ouvindo a mesma irritante batida da porta se fechando atrás das minhas lágrimas. Ainda escuto sua voz rouca tentando explicar que ia embora. Ainda sinto meu corpo estremecer de fúria ao ver que tudo que eu lutei para construir foi jogado no chão como se nada tivesse valor.

Eu ainda vejo pessoas se encontrando no café, ainda vejo os punks dançando na rua e as emos fazendo seus belos delineados nos olhos. E eu continuo aqui a chorar por você que se foi há tanto tempo.

Acho que tenho que dar a volta por cima.




Vou pegar todas as memórias que estão no chão da sala, vou sentir e reviver cada uma com as lágrimas necessárias. Vou guardá-las numa bela caixa de madeira para um dia olhar e pensar em tudo o que eu passei. Vou recolher os abraços e os beijos que trocamos e vou jogar todos eles para fora do meu coração de uma vez.

Eu sei que vai doer muito no começo, mas o tempo passa, não é? E a vida corre. Logo já estarei escrevendo sobre amor novamente.

Mamãe ficaria orgulhosa se me ouvisse falar dessa forma. Ela me colocaria no seu colo e me daria um beijo na testa por tanto esforço em ser melhor.

Eu vou seguir todos esses conselhos que ela me deu, vou ser nova e diferente. Eu mereço ser feliz, sem drama. Apenas imensamente feliz.

Vou passar uma bela maquiagem no rosto, vou fazer a unha no salão e mudar meu cabelo.

Colocarei a melhor roupa que eu tenho e vou sair por ai. Não tenho como viver o novo dia, se não saio do meu canto por medo de te encontrar.

Não existe a menor possibilidade de experimentar o recomeço, se eu não procurar pelas aventuras e amores que estão reservados à mim. A partir de hoje sou uma nova versão de mim mesma. Vou sorrir e falar com estranhos, vou cantar alto uma bela melodia e arranhar o violão.

Escreverei verdades esquecidas no meu coração e farei novos amigos. Vou cantar a alegria, vou dançar sem me esquecer de tudo o que vivi.

Vou comemorar porque tudo coopera para o bem no final das contas.

Por que você merece ser feliz e eu não? Quer saber? Eu fico por aqui nesse relato e vou sair para dançar um pouco nas ruas.

Vou viver um pouco, vou ser feliz.


Deixe sua opinião ou seu desabafo, conte sua história nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho <3

Se você gostou deste texto da Tiffany Guimaraes, leia este aqui, você vai AMAR com certeza: Eu me afastei… E isso me fez bem

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Tiffany Guimaraes

Tiffany Guimaraes paulistana, dona do blog Mundo Aleatório; Ama a leitura e a escrita desde que aprendeu a ler. Apaixonada por animais e poemas, sonha em cursar Jornalismo.

7 comentários em “Eu vou dar a volta por cima

  • Pingback:O nosso tempo passou

  • 6 de março de 2018 em 13:44
    Permalink

    Lindo texto, Blima. Desceu como aquele licor de jabuticabas dulcíssimo que, ao se despedir, aperta um pouco a garganta querendo provocar lágrima. Meu filho deitou-se ao meu lado enquanto eu lia a crônica e, meio sem perceber, evitei o embargo na voz que poderia denunciar minha emoção. Lindo texto. Obrigado. Delicados fragmentos de memória, permeados de emoção, como minhas memórias de meu pai. Lembro pouquíssimo dele, abalado que fui pelo susto. Mas, do pouco que lembro, sempre tem a coloração que você o deu no seu texto: afeto, saudade e o corpo de um homem enorme e acolhedor, que eu gostava muito de abraçar. Um grande beijo a seus pais. Eles, em minha memória, também coloriram as imagens que tenho do meu pai de carinho e afeto. Parece mesmo que quase todos que conviveram com ele guardam em si o homem feliz e carinhos que ele parece ter sido. Espero que possam ver a exposição e recuperar, nos quadros, um pouco daqueles tempos. Está linda a mostra! Grande e afetuoso beijos pra voce. E Obrigado, mais uma vez. Nello

    Resposta
  • Pingback:E quando bate a vontade de jogar tudo pro alto?!

  • Pingback:Eu vou sair dessa

  • Pingback:Se eu fosse você, eu ficava comigo

  • Pingback:Levante-se

  • Pingback:Deixe ir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *