Eu andei evitando o amor

Eu andei evitando o amor

Eu desisti dele e apenas fechei o meu livro da vida.

Mas nada funcionou. Eu comecei a fazer coisas erradas, sabe?! Coisas que me fazem sentir uma vergonha imensa. Eu duvidei da vida, eu não acreditei na felicidade. Comecei a magoar pessoas que eu nunca pensei que poderia magoar. O rancor e o desencanto conduziram os meus atos.

Eu estava totalmente perdida.

A dor faz a gente pensar coisas erradas… O fato do meu coração ter sido destruído por um babaca não quer dizer que eu não mereça viver um amor de verdade. Um amor desses que faz a gente colorir a vida

A vida é como um papel em branco em que a cada respirar, cada pulsar do coração você vai traçando as curvas de uma obra-prima. Mas a cor, bem… a cor é escolhida pelo amor que você tem no coração; cada cor para uma pessoa e uma situação diferente. É o amor que vai pintar o seu desenho, a sua vida.




Não adianta ignorar. Eu sei que muitas pessoas só enxergam o preto no branco, a ausência total de motivo para viver. Mas nunca pensam se a razão disso tudo não seria a falta de amor… O mundo padece pela falta de amor.

Mas agora, bem agora, eu tenho amor, eu tenho giz para colorir a vida.

E a primeira cor que vou usar é a do “amor próprio”.

Eu sei que eu posso me amar, eu sei que eu mereço o meu perdão. Eu sei que meu coração precisa ser reconstruído. E isso só vai acontecer quando eu renascer das cinzas e abrir os olhos. Isso só vai acontecer quando eu me perdoar pelos meus “erros” e aceitar que não foi dessa vez.

Muitas pessoas merecem o meu amor. Não vou menosprezá-lo só porque um cara não quis me abraçar ou me aceitar da forma que eu sou! Muitas pessoas precisam de amor, e eu vou escolher para quem dar o meu. Na próxima vez vai dar certo porque eu vou ter curado o meu coração.

Da próxima vez vai dar certo porque eu vou conseguir ver as cores que existem no mundo, porque eu plantei a mais básica delas. Eu plantei a cor que me faz ver os pássaros, os animais, a natureza, as construções, os livros e as músicas: eu plantei o amor próprio.

Não vou deixar um desenho inacabado por conta de uma cor escolhida errada. Quantos erros eu já cometi? Estou agora me aceitando como sou e estou aceitando que mereço uma nova chance para mim mesma.

Eu mereço o meu amor. Ponto final.


Deixe sua opinião ou seu desabafo, conte sua história nos comentários abaixo. Afinal de contas, todos nós temos nossas dores e nossas alegrias. Vou respondê-los com todo carinho <3

Se você gostou deste texto da Tiffany Guimaraes, leia este aqui, você vai AMAR com certeza: É isso mesmo que a saudade faz com a gente?

Enfim, eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Tiffany Guimaraes

Tiffany Guimaraes paulistana, dona do blog Mundo Aleatório; Ama a leitura e a escrita desde que aprendeu a ler. Apaixonada por animais e poemas, sonha em cursar Jornalismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *