Eu não guardo mágoa

Eu não guardo mágoa do seu ciúme excessivo, nem das suas palavras que pesaram demais sobre mim.

Eu não guardo mágoa de quando você me deixou sozinha e me trocou por um programa com amigos.

Eu não tenho mágoa por você ter evitado sair comigo por tantas e tantas vezes.

Eu não guardo mágoa pelas vezes que você criticou minha timidez e meu corpo.

Eu não guardo mágoa alguma por você ter terminado comigo justamente no dia em que eu mais desejava te ver, justamente quando eu estava feliz.

Do fundo do meu coração, eu não guardo mágoa de você.

Eu não guardo mágoa alguma pelo fato de você não ter permitido que eu me aproximasse dos seus amigos. Eu até te compreendi no momento, hoje não compreendo mais.

Eu não guardo mágoa por você não me apoiar nos meus sonhos, e também não guardo mágoa por você ter vergonha de mim.

Eu não guardo mágoa dos argumentos que você usou quando quis terminar nossa relação. Eu não guardo mágoa por você ter dito que seus amigos tinham te criticado por ter ficado comigo, ou por você garantir que não voltaríamos, sem nem ao menos perguntar para mim se era isso que eu queria.

E não eu não queria voltar.

Eu não guardo mágoa alguma por você ter me abandonado e depois voltado como se nada tivesse acontecido, como se eu fosse abrir a porta para você entrar novamente.

Eu não guardo mágoa quando escuto seu nome. Não pense que estou magoada só porque te excluí das redes sociais. Na verdade isso é um direito meu, e eu o fiz.

Eu não me importo quando me perguntam a razão por termos rompido. As pessoas não tem culpa alguma, assim como eu não tive.

Eu não me culpo por ter ficado com um amigo seu. Nós já não estávamos mais juntos, eu sou livre, você também.

Não me sinto ferida ou triste quando escuto a música que era nossa. Por sinal, ainda gosto dela.

Ela não me lembra mais você, nem nós.




Eu não guardo mágoa, pois aqui não há espaço o suficiente para ela ficar. O perdão e o amor ocuparam todos os espaços, e a mágoa, não é bem vinda.

Onde você me machucou, eu plantei flores. Eu reguei e elas floriram. Elas deixaram tudo ainda mais bonito.

Parece que sem você e todas aquelas cobranças, tudo ficou mais leve.

Sim, eu não posso negar nossa história. Lembro de cada detalhe. Se pudesse escolher, esqueceria, mas não posso. E talvez tudo me sirva de lição para alguma coisa, para prestar atenção nos detalhes de um relacionamento e observar se ele está me fazendo bem. Aprendi que uma relação termina a partir do momento que você já não consegue mais sorrir e tudo vira um ciclo de cobranças… Isso é sinal de que já não há mais nenhum resquício de amor.

Hoje digo com todas as letras que eu não te amei. Sim, parece pesado, mas você também não me amou. Não sei se você já amou alguém algum dia ou se ainda vai amar.

Eu não te amei, porque se tivesse te amado, teria tentado mais, mas chegou um momento que eu mesma queria desistir. Eu mesma queria abandonar o barco e ir para longe de você.

Houve momentos em que eu parei e me perguntei o porquê ainda estávamos juntos… A verdade é que nada mais fazia sentido entre nós.

Quando descobri o que era a mágoa e o quanto ela podia me machucar, decidi deixar tudo para trás. Decidi te deixar no passado, decidi virar uma página.

Eu decidi não guardar mágoa alguma e pensar apenas nos ensinamentos que nosso relacionamento me trouxe.

Não sei onde você está agora ou o que está fazendo. Não sei se já chegou a ler os meus textos ou se ao menos se recorda de tudo o que nos envolveu… Se sim, acredito muito que pense como eu. E se pensar diferente tudo bem, eu não guardo mágoa por você não ter amadurecido.

Quero apenas dizer que eu não guardo mágoa alguma de você. Aqui já não há espaço para nenhum tipo de sentimento pesado… E já não há mais espaço para você também.

Quero que você siga seu caminho feliz e procure cuidar de quem cuida de você.

Quero que você mude seus pensamentos, mas se não mudar, tudo bem. Eu já não faço parte deles mesmo.

Quero que a palavra mágoa não exista entre nós, porque ela ocupa espaço demais. Quero que no lugar dela existam lembranças boas. Afinal, em meio a tantas coisas ruins, você me fez sorrir algumas vezes. Mesmo que raros esses momentos, eles existiram, assim como eu e você.

Eu te desejo amor, nada mais que amor.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho, afinal de contas todos nós temos as nossas doçuras e amarguras dentro do coração <3

Leia também esse texto, você vai AMAR com certeza: Eu ainda não superei a minha mágoa

Saiba um pouco mais a respeito da Bia Civa clicando aqui.

Enfim, eu também sou colunista de outros blogs! Então, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Bia Civa

Danúbia Civa, 21 anos, mora em Mato Castelhano/RS. Gosta dos romances mais doces e dos livros mais clichês. Apaixonada por sentir ao extremo, de preferência o amor. Gosta de sonhar, das coisas mais simples e dos perfumes mais marcantes. Uma garota clichê que adora viver, ler e escrever romances.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *