Eu me sinto culpada por te amar

Eu me sinto culpada por te amar

A madrugada virou a minha maior companheira nos últimos tempos. Não passo as noites em claro por ter muito a fazer… Mas sim por ter uma mente totalmente ocupada com lembranças. Esses pensamentos entrões tiram-me o sono a ponto de me fazer andar pelo apartamento inteiro, escrevendo e ouvindo a minha velha playlist no Spotify.

Sabe, a música tem um efeito incrível sobre mim; quando ela toca, eu imediatamente começo a lembrar de tudo!  Como se fosse uma injeção de óleo na minha máquina sem funcionamento. E lembro dos nossos primeiros passeios, das nossas despedidas por telefone, das mensagens de madrugada e das tantas vezes em que dançamos enquanto tocava qualquer coisa na nossa velha e linda playlist.

É tão engraçado quando começamos a gostar de alguém… Quando estamos juntos tudo parece perfeito. O mundo para de girar e todos os pássaros cantam, as flores abrem mais belas, as horas passam voando e você espera “pacientemente” o dia marcado para o encontro. E quando ele acontece, nossa! O tempo passa rápido.

Mas quando essa mesma pessoa vai embora, parece que falta alguma parte de você, parece que falta um instrumento na orquestra ou que falta um capítulo do livro. E a falta aumenta ainda mais quando você não sabe se haverá um novo encontro ou se o sentimento ainda será o mesmo… Bate um certo medo. Medo de que ela simplesmente supere você e siga em frente, ignorando tudo que viveram juntos.

No final das contas, apesar de todo esse monólogo interno que me rouba o sono e me faz escrever textos sem sentido na madrugada, eu sou a única culpada nessa história de amor. Sou a única que erra constantemente. Eu mesma declaro o veredito: CULPADA.

Você deve estar se perguntando: Mas por que culpar a mim? Bem vou explicar melhor. Você, meu amor, nunca pediu para que eu te amasse, deixou bem claros os seus inúmeros erros e defeitos. Mas mesmo assim eu ainda quis te amar.

Eu sou a única culpada nessa história porque eu amo esse sorriso que você esboça quando me vê, porque eu amo o jeito que sua mão completa a minha, amo o som da sua voz e o calor do seu abraço. Apesar de todos os erros, eu te amo da mesma forma. E se hoje eu acordo de madrugada por insônia, a culpa é minha porque eu quis te amar do jeito que eu amo.




A saudade que eu sinto arrebenta o peito e machuca o meu ego que insiste em sentir essa dependência de você. Me culpo por ter te afastado tantas vezes… Eu tive medo de ser machucada, sabe? Eu me culpo por ter colocado pessoas menos importantes na sua frente e por ter corrido até você para reclamar de falta de atenção!

Eu me culpo por ter ignorado esse amor que você sempre mostrou por mim, esse amor que você guardou por anos para me dar de presente. Me culpo porque não sou digna de ser feliz com alguém como você… Porque já te fiz sofrer…

Dói demais lembrar daquela última vez em que você discutiu comigo e disse que valeria mais a pena desistir. Saber que eu te magoei e te fiz chorar, é um martírio. Eu só queria te fazer feliz.

Dói? Muito, mas o que mais incomoda é a saudade tão grande que eu sinto de você; do seu sorriso, do seu abraço, do seu cheiro… Uma saudade que machuca o peito na hora de dormir, que lança uma vontade de voar até os seus braços novamente.

É uma saudade clichê e apaixonada, mas sou assim mesmo! Apaixonadamente clichê.

Essa saudade não é ruim, essa culpa não é motivo de tristeza, acho até que ela seja motivo de alegria. Essa culpa por sentir sua falta, essa vontade de cair nos teus braços e te beijar só mostra que o amor que eu sinto continua tão forte quanto antes.

Essa saudade me dá esperança de que você também sinta vontade de me ver e de me abraçar. Essa saudade me dá vontade de estar com você, mesmo que demore mil anos para isso acontecer.

Eu sei que não vai adiantar nada dizer isso, porque a insônia ainda vai continuar, mas a nossa música ainda vai tocar durante a noite toda. Eu ainda vou querer te abraçar e ainda vou querer o seu colo para os piores dias da minha vida;

Estou dizendo, assumidamente, que te amo e que me culpo por isso.

E sinceramente, meu amor, essa é a culpa mais deliciosa de se carregar, porque com ela eu sei que vem algo mais maravilhoso ainda: a reciprocidade. Eu sei que você ainda sente algo. Eu sei que você ainda deseja o meu coração, que quer o meu abraço. Eu sei…

E isso me acalma, isso me faz pensar que ainda vamos nos ver e que você vai me abraçar bem apertado. Eu sei que apesar dessas noites mal dormidas, quando eu puder deitar no seu peito com você me abraçando e assistindo à alguma coisa eu vou dormir bem.

Essa saudade e essa culpa são tão maravilhosas que não tem motivo para eu me chatear… Pois amar você é a melhor coisa que me aconteceu.


Deixe sua opinião ou seu desabafo, conte sua história nos comentários abaixo. Afinal de contas, todos nós temos nossas dores e nossas alegrias. Vou respondê-los com todo carinho <3

Se você gostou deste texto da Tiffany Guimaraes, leia este aqui, você vai AMAR com certeza: É isso mesmo que a saudade faz com a gente?

Enfim, eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Tiffany Guimaraes

Tiffany Guimaraes paulistana, dona do blog Mundo Aleatório; Ama a leitura e a escrita desde que aprendeu a ler. Apaixonada por animais e poemas, sonha em cursar Jornalismo.

Um comentário em “Eu me sinto culpada por te amar

  • 16 de Maio de 2018 em 21:59
    Permalink

    Admiro mto todos esses mensagens que são verdadeiras,que mexe cmg até parece que são feitas pra mim,que cabe direitinho no meu eu

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *