Ansiedade: o sintoma que vive entre nós

Considerada por especialistas como o grande mal dos tempos modernos, a ansiedade tem feito parte da vida de muitas pessoas ao redor do mundo, de forma impiedosa. Este transtorno emocional pode causar sérios problemas ao indivíduo, na vida social e até mesmo no trabalho.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) diz que 33% da população mundial sofre de ansiedade e o Brasil aparece entre os primeiros dessa triste lista. Mas, afinal de contas, quando precisamos realmente nos preocupar com a ansiedade? A ansiedade é uma sensação natural a todos nós e muitas vezes é ela quem nos impulsiona para novos desafios.

Nós nos deparamos com a ansiedade quando enfrentamos uma entrevista de emprego, quando precisamos tomar uma importante decisão, quando aguardamos por algum resultado ou quando vamos começar algo novo. Este tipo de ansiedade é um alerta saudável. Sabe aquele friozinho na barriga? Essa ansiedade faz bem, ela nos estimula a sonhar e a experimentar novas coisas e situações, a evoluir, crescer, mudar.

Mas quando essa emoção passa a fazer parte constante de nossas vidas, quando ela nos impossibilita de tomar decisões ou impera através do medo e da insegurança, precisamos procurar por ajuda. Como causas da ansiedade podemos citar a genética, traumas sofridos ou experiências negativas.

Mas e os sintomas? Eles podem ser divididos em dois grupos: Psicológicos e físicos. Veja na tabela abaixo:

Sintomas FísicosSintomas psicológicos
InsôniaFalta de concentração
Dores muscularesIrritabilidade
Dor de cabeçaLembranças ruins
Fala rápidaPreocupações excessivas
Roer as unhasMedos infundados
TremedeiraPensamento excessivo no futuro
Suor demasiadoFalta de confiança em si próprio





Existem cinco principais tipos de ansiedade e são eles:

Transtorno de pânicoAs pessoas têm a sensação eminente de morte,
é como se estivesse sofrendo um ataque cardíaco.
Transtorno de ansiedade generalizadaAqui o estresse ou preocupações excessivas
podem ser levantados como causas de pensamentos
que geram ansiedade.
Fobia SocialAcontecem sempre em situações públicas.
As pessoas têm grande dificuldade de ficar em
grandes aglomerados.
Transtorno obsessivo-compulsivoÉ o medo de perder o controle ou ser responsável por
algo terrível para si ou para os outros (culpa).
Lavar as mãos inúmeras vezes ao dia pode ser um exemplo de TOC
Transtorno pós traumáticoÉ causado por um trauma ou evento terrível
ocorrido na vida do indivíduo.

O fato de se revirar na cama de um lado para o outro, remoendo os acontecimentos do dia que acabou ou se preocupando com o dia de amanhã, acordar cansado, com dores no corpo, e ter a nítida sensação de não ter sido revigorado pelo sono é sintoma de ansiedade. Sentir ansiedade é aquele aperto no peito enquanto se espera por uma mensagem ou por uma ligação… É quando o tempo de espera parece ser eterno. É o cenário de catástrofe que você sente e cria diante das situações. Ansiedade são as conversas que você repassa na sua cabeça para que nada dê errado. É o emaranhado que você cria no seu pensamento e as conclusões que você mesmo tira das situações que ainda nem aconteceram.

É a crítica que você faz sobre você mesmo e as desculpas que você vive pedindo por ser você. É o medo de perder. É criar expectativas exageradas em relação às coisas, às pessoas, aos sentimentos. É o medo do abandono, da rejeição, medo de dar errado, de ser errado. É querer consertar algo que nem problema é. É nunca querer decepcionar as pessoas. É sempre estar adiantado: no horário, no pensamento, na palavra, no sentimento, no futuro.

A ansiedade te faz viver totalmente no futuro ou no passado. Você não consegue aproveitar o agora, o que acontece no presente.

Sua cabeça vive além do seu corpo. Você cria saídas pra todas as situações, mas a maioria delas nem aconteceu e nem vai acontecer. Você se preocupa com tudo. Você cria uma vida além da sua. Você nunca está aqui e sempre lá. Você nunca resolve o agora, resolve os problemas que você nem terá. Você sente que precisa se proteger a todo tempo, então está sempre vivendo na frente, nada pode sair do controle. Você se torna refém dos seus pensamentos e das suas angústias. Você vive por dois.

Mas a ansiedade pode ser controlada, através de terapia, tratamentos farmacológicos e mudança de hábitos. Aprender a lidar com os problemas e imprevistos do dia a dia, o autoconhecimento pode ajudar muito. Alguns minutos de meditação e exercício físico também! Aprender a administrar seu tempo, estar com pessoas que você gosta e ter uma alimentação saudável podem ajudar a amenizar os sintomas tão dolorosos da ansiedade

Então lembre-se: Procure ajuda! Sua vida precisa ser um bom lugar para se estar!


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho, afinal de contas todos nós temos nossas dores e doçuras emocionais <3

Então se você gostou desse texto da Gisele Ribeiro, deixe seu comentário <3 Enfim, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Se está dando certo, será que vai dar errado?

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir textos ainda mais lindos: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Gisele Ribeiro

Gisele Ribeiro, Gaúcha - Gremista - Escorpiana. Jornalista e Relações Públicas, mora em Caxias do Sul, RS. Apaixonada por livros, música, poesia, chimarrão e cachorro. As coisas simples a encantam e as palavras a transborda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *