Para todos os garotos que já amei

Para todos os garotos que já amei

Nem sempre fui a melhor pessoa – ou pelo menos a melhor versão de mim mesmo. Sempre fui uma pessoa cheia de falhas e que comete muitos erros. Machuquei algumas pessoas pelo caminho e fui machucado algumas vezes também. Nós sempre vivemos o mesmo processo quando tentamos descobrir quem somos, para onde vamos e o que faremos, eu acho.

Nas caminhadas da vida a gente acaba conhecendo pessoas que se transformam em verdadeiros professores… Elas sempre nos ensinam algo que precisamos aprender.

Todos os garotos que amei me mostraram algo importante sobre mim mesmo. Talvez eu não enxergasse isso na época. Na maioria das vezes notei só depois de ter acabado, mas a verdade é que cada um deles, mesmo que tenham me tratado mal ou me machucado, me ensinaram e ajudaram a moldar uma versão mais aprimorada de mim mesmo.

Ainda é meu o esforço, é verdade, mas lhes dou suas parcelas de responsabilidade nesse processo.

Aprendi que nem sempre devemos falar tudo. Nem sempre a sinceridade é uma coisa boa. Algumas coisas podem – e devem – ser mantidas em nós, ainda mais quando estão prestes a machucar alguém. Às vezes é melhor não falar tudo que se pensa, afinal, nem todo mundo vai compreender e isso pode terminar mal – acreditem, eu sei.

Aprendi que algumas pessoas vão ser jornada e não destino. Que alguns caras vão entrar na sua vida para te mostrar alguns caminhos que tu não conseguiria encontrar sozinho. Depois eles vão embora. Algumas vezes tu também não vai ficar na vida dessas pessoas e elas vão chegar aos seus destinos sem ti. Tá tudo bem também, afinal, quando não é para ser, não tem como combater o destino e fazê-lo mudar de ideia.

Os garotos que já amei me ensinaram que alguns dias eu serei como o Tom em “500 dias com ela”, apaixonado e esperando que “a Summer” me olhe do mesmo jeito que eu a olho. Pensando que ela me ama demais e que parece certo que a gente fique junto… No fim não vai funcionar. Mas também vão haver dias em que serei como a Summer. Não vou conseguir dar aquilo que a pessoa espera de mim, mesmo que eu tente… Quem sabe a melhor alternativa seja deixá-la livre.




Eu aprendi com esses garotos que amor não é uma coisa ruim. Sim, algumas vezes vamos nos machucar e nem sempre vai ser bom. Algumas vezes vamos chorar mais do que rir e você vai despejar todo seu sentimento em cima de alguém que vai se afogar sem conseguir, sequer, boiar neles. Isso vai te decepcionar, mas não dá pra desistir, pois aprendi com eles também que amar é a melhor escolha que podemos fazer.

Todos os garotos que já amei tiveram alguma coisa para me ensinar. E ensinaram. Mesmo que eles não notem que o fizeram. Eles me ensinaram a ser melhor.

Eles estiveram aqui por pouco ou muito tempo. Me beijaram, abraçaram e me deixaram entrar em suas vidas. Foram alguns dos meus melhores beijos e, sem dúvida, algumas das minhas melhores transas. Foram pessoas que me fizeram rir e alguns que me fizeram chorar. Eles estiveram tão próximos a mim e, muitas vezes, distantes demais para que eu os tocasse.

A todos os garotos que já amei, eu agradeço. Eu não seria minha melhor versão hoje se não os tivesse conhecido. Eu sou melhor do que era antes, eu sou melhor do que aquele garoto que amou pela primeira vez. Com certeza muito melhor do que o menino bobo que acreditou estar amando há muito tempo atrás.

Nem todos eu vejo, reencontro ou troco alguns minutos de conversa. Alguns passaram e foram embora, outros fixaram morada de outras formas. Alguns estiveram aqui e fingem que nunca estiveram, outros fazem questão de ficar.

Para todos os garotos que já amei, que façam outros garotos amarem. Que amem outros garotos. Que virem versões melhores de vocês a cada novo recomeço e que façam a diferença na vida de cada pessoa que tocarem. Há mais em vocês do que vocês mesmos admitem. Há mais oportunidades do que podem estar vendo agora. Eu os amei, os quis, os olhei e abracei, beijei e transei.

Hoje os deixo ir com um obrigado.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho, afinal de contas todos nós temos nossas dores e doçuras emocionais <3

Então se você gostou desse texto do Andrei Santos, deixe seu comentário <3 Enfim, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Ele perdeu oportunidades.

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir textos ainda mais lindos: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Andrei Santos

Jornalista gaúcho de 26 anos, apaixonado por contar histórias e por tê-las sendo ouvidas por alguém. Um dos últimos românticos que já parou de acreditar algumas vezes, mas que sempre acaba por voltar e perceber que, mesmo que a gente queira, não tem muito o que fazer quando se nasceu para ser feito de amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *