Vamos falar sobre resiliência?

Está tão na moda falar sobre resiliência.

“Seja resiliente” é o que seu chefe diz. “Seja resiliente” é o que seu amigo te aconselha. “Seja resiliente” é o que você lê no jornal todos os dias. Mas de fato, você sabe o que é resiliência? A palavra vem do latim Resilire, que significa recusar-se a voltar atrás. Na Física se refere a capacidade que um material tem de suportar grandes impactos de temperatura e pressão, deformar-se ao extremo e recuperar-se pouco a pouco, voltando à sua forma anterior. É como um elástico que sempre volta ao seu estado normal, por mais que você o estique.

A resiliência passou a ser explorada e vinculada ao comportamento humano, à forma como lidamos com as situações que nos são impostas. Então, se analisarmos as emoções, ser resiliente é ter a capacidade de lidar com seus problemas. Adaptar-se às mudanças, superar seus obstáculos, ou resistir às pressões, sejam elas no trabalho, nos relacionamentos e em qualquer outro aspecto da vida. É a capacidade de voltar a seu estado normal depois de vivenciar um trauma ou um acontecimento difícil.

Pessoas resilientes enfrentam suas dificuldades, não desistem no meio do caminho e muito menos desistem de lutar. Mesmo enfrentando problemas muito difíceis, os resilientes não se deixam abater e enfrentam as dificuldades ao invés de fugir delas. Os resilientes aprendem com as situações, tiram lições de cada obstáculo. Entendem que a chegada não é o mais importante, mas sim o caminho construído… As experiências vividas e as transformações pelas quais passou no decorrer deste árduo processo.

Ser resiliente não é necessariamente sinônimo de ser forte, mas de tirar lições de tudo que se apresenta na sua evolução. A resiliência nos dá o ensinamento necessário para saber que o importante não é ser forte, mas sim flexível, ter a capacidade de se adequar.

Ser resiliente é muitas vezes não ter tempo para lamentações, mas também é entender que nada é por acaso e que precisamos subir um degrau a mais. Ser resiliente é conseguir ver além daquele problema, além daquela dificuldade, além daquele aborrecimento. É somente conseguir ver além. É conseguir perceber que as coisas passam, que os sofrimentos diminuem e que cada etapa te dá a chance, a oportunidade de avançar.

A resiliência nada mais é do que o aprendizado que brota do sofrimento. É quando, naquela encruzilhada entre sofrer e achar uma saída, você escolhe a segunda opção mesmo sabendo que a única saída é seguir em frente. Não confunda resiliência com resistência. Quem é muito resistente costuma ser o mesmo a vida toda e acaba num círculo bem vicioso. A resiliência faz você ter força para encarar as coisas, para lutar por você e pelos seus sonhos.

Força para lutar por mais conquistas e mais horizontes alcançados.

Ser resiliente é não desistir do que você acredita, dos seus valores, da sua caminhada até aqui. É não esquecer da sua bagagem, do que você se tornou. A resiliência é a força que transcende todo sofrimento, tudo aquilo que te fez chorar, tudo aquilo que você considerou ter perdido.




Ser resiliente é a capacidade de recuperação de um acontecimento muito traumático. Quantas vezes vimos pessoas que acabaram de fazer uma sessão de quimioterapia sorrindo? Quantas vezes vimos alguém que perdeu alguém muito querido, utilizar seu tempo para a caridade? Quantas vezes vimos deficientes físicos se tornando atletas campeões? Ou deficientes visuais que são excelentes palestrantes?

Quantas vezes vimos pessoas que sofreram violência em seus relacionamentos, começando outra vez? Isso é resiliência: acreditar que ainda é possível, que temos muitas chances ainda. A resiliência é isso… É deixar sempre uma semente brotando dentro de nós.

É jamais perder a fé e a esperança no outro e em si próprio.

A resiliência é uma construção. Podemos ao longo da vida nos tornarmos resilientes. Nunca é tarde para começar. Aprender com os erros e tentar não deixar o externo abalar aquilo que você construiu internamente. Estar em harmonia com aquilo que acredita que é. Ser resiliente é sempre ter uma carta na manga, sempre encontrar um outro caminho. É sempre olhar a metade do copo cheio, é tentar sempre ver o lado bom das coisas e das pessoas. É aquela velha história: a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.

Resilientes escolhem a melhor opção. Resilientes sabem que podem vencer qualquer batalha, mas escolhem pelo que devem lutar. Nem sempre resiliência é sinônimo de felicidade, mas possuir essa característica nos faz compreender melhor as situações que somos obrigados a encarar.

Não é porque você se tornou resiliente que agora é um super-herói. Você tem o direito de pedir ajuda, de chorar, de se abalar com as coisas… Mas tem uma ferramenta que vai te ajudar a se erguer mais rápido, a emergir do poço que a vida quis te colocar.

Nada de desistir de primeira. Toda tentativa é válida e cada vez que você tentar vai aprender algo novo, com certeza. Nada é desperdiçado e você pode tirar alguma lição para uma situação totalmente diferente daquela. Aproveitar os aprendizados é também usar da resiliência.

Enfim… Faça as coisas darem certo. Muitas vezes elas só dependem de ti. Você vai cair, mas logo vai se levantar, e de novo vai cair, mas aí vai ter aprendido algo sobre como se levantar. Pessoas vão chegar e vão partir, mas você vai ficar, então trate de olhar mais pra você.

Permita-se errar, mas exija aprender com seus erros. A gente sempre reconhece a felicidade nos momentos de descuido.


Deixe sua opinião, conte sua história ou seu desabafo nos comentários abaixo, vou respondê-los com todo carinho, afinal de contas todos nós temos nossas dores e doçuras emocionais <3

Então se você gostou desse texto da Gisele Ribeiro, deixe seu comentário <3 Enfim, tenho certeza que você vai AMAR esse texto também: Às vezes, dar um passo para trás, também é recomeçar

Eu também sou colunista de outros blogs, dá um pulinho lá para conferir textos ainda mais lindos: Que Me Transborde / Superela /  Recalculando a Rota.

Gisele Ribeiro

Gisele Ribeiro, Gaúcha - Gremista - Escorpiana. Jornalista e Relações Públicas, mora em Caxias do Sul, RS. Apaixonada por livros, música, poesia, chimarrão e cachorro. As coisas simples a encantam e as palavras a transborda.

2 comentários em “Vamos falar sobre resiliência?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *